Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Alerta, contagem regressiva Autor(a): Luiz Augusto Wanick - Conheça esse autor
História publicada em 07/10/2007
Nós que temos mais de 55 anos, deveríamos pedir a todos os idosos, sejam eles nossos pais, avós ou pessoas amigas, que nos transmitam seus conhecimentos sobre a cidade de São Paulo, para que possamos perpetuá-los. Talvez seja esta a última chance, pois aqueles que conhecem a história já estão partindo e com eles todo o saber. Para que isso não aconteça, sem qualquer duvida temos recorrer ao Bairro da Mooca, onde está localizada a recepção de todos os migrantes e imigrantes. Tudo começou com a chegada deles, que após isso ou ficaram na Mooca ou foram para outros bairros também importantes que integram nossa cidade.
A cidade de São Paulo foi considerada a locomotiva do Brasil, lógico que esta classificação foi dada pelo grande poder industrial e financeiro que sempre tivemos, aí todos que trabalharam em qualquer uma dessas empresas tem histórias diversas para contar. Exemplo: quando mais jovem um colega que trabalhava na Laminação Nacional de Metais, em sua época muito conceituada e seu proprietário famoso Playboy da alta sociedade, cuja fama ultrapassava as fronteiras do Brasil e chegava ao exterior com suas conquistas amorosas, seu nome Baby Pignatari, se não me falha a memória falecido na década de 80. Que me desculpe o Chiquinho Scarpa, pois acho que acabei de destroná-lo.
Na Mooca existiam muitas empresas de porte, entre elas a Minette & Gambá, que tinha participação em diversos segmentos da produção, e estava instalada na Av. Presidente Wilson. Se vocês por lá passarem verão que existe. Não sei se está ativa uma linha férrea, cuja finalidade exclusiva era escoar a produção para abastecimento do mercado consumidor. E outras também muito importantes das quais cito algumas: Chocolates Gardano, Biscoitos Duchen, Lanifícinio Fileppo, Lanifício Varan, Lanifício Gasparian, Lanifício Crespi, Lanifício Scurachio, S/A Moinho Santista, Idns. Reunidas Francisco Matarazzo e etc., se você fez parte de alguma delas ou de outras que existiram, nos conte sua história.
Não vamos deixar de lembrar que todos foram importantes na grandeza de nossa cidade por isso temos que perpetuá-los na história.

e-mail do autor: www.wanichi@ig.com.br E-mail: www.wanichi@ig.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 19/03/2013 ola amigos como ja disse na historia anterior trabalhei no lanificio varan nos anos 70 e 71 e vou relatar aqui um fato que me da muitas saudade foi na copa de 1970 o brasil se tornou tri campeao mundial no domingo e na segunda feira fui trabalhar no varan quando cheguei na potaria o guarda me avisou que era feriado e que nos funcionarios poderiamos ir enbora historia copa de 70 abracos Enviado por waldir louro - waldirlouro@ymail.com
Publicado em 18/03/2013 ola amigos trabalhei no lanificio varan no ano de 70 a 71 como auxiliar de mecanico de manuntencao meu encarregado chamava se adao becker foi um tempo muito bom da minha vida abracos. Enviado por waldir louro - waldirlouro@ymail.com
Publicado em 18/03/2013 ola amigos trabalhei no lanificio varan no ano de 70 a 71 como auxiliar de mecanico de manuntencao meu encarregado chamava se adao becker foi um tempo muito bom da minha vida abracos. Enviado por waldir louro - waldirlouro@ymail.com
Publicado em 10/10/2012 olá pessoal, preciso de ajuda minha mae trabalhou nesta empresa chamado fileppo no ano de 1973, e agora esta com problemas para se aposentar, peco a gentileza quem tiver qualquer documento da epoca por favor e poder nos ajudar eu agradeco. obrigado a todos. Enviado por MARCOS PAULO - buias9@hotmail.com
Publicado em 08/05/2012 Concordo com tuas palavras, Luiz! A Mooca tem peso - e muito! - no desenvolvimento desta nossa querida Sampa! Meu primeiro emprego, em 1970, foi no antigo Lanifício Varan, que tornou-se Vicunha S/A Indústrias Reunidas em 1972. Minha mãe, que hoje teria seus 97 anos, trabalhou como tecelã no Lanifício Crespi quando solteira e durante seu primeiro ano de casada. Tudo na Mooca rescende a antigo, porém, com cheiro de novo... 1 forte abraço,

the Osmar.
Enviado por osmar - belenosmarix@gmail.com
Publicado em 06/03/2012 Eu trabalhei na vicunha de 1985 a 1989 no controle de qualidade com a Engenheira Ana maria, gostaria de saber aonde ela trabalha, como como gostaria de Rever a Claudinéia que trabalhava no Laboratório. Que saudade de todos. Enviado por Almir Sousa Farias - almiralmir@ig.com.br
Publicado em 24/09/2011 Meu pai (inmemorian) trabalhou toda a sua vida no Lanificio Varam, até a sua venda para a Vicunha, a´pós a morte do Sr. Varam Keutenadjian, seu amigo pessoal, descrito por ele e por minha mãe, como grande cidadão e ser humano. Enviado por Carla - carladato@yahoo.com.br
Publicado em 01/09/2011 Gostaria de pedir para quem trabalhou na Lanificio Fileppo o endereço atual e o antigo,pois preciso do mesmo para poder entrar com um recurso no INSS para poder me aposentar, e em,minha carteira de trabalho o endereço está completamente apagado .Por favor preciso com urgência ,pois estou muito doente e com 61 anos e dependo desta informação.Atenciosamente agradeço . Enviado por Avelina Alves - lemosione@yahoo.com.br
Publicado em 08/08/2011 Que saudade das lãs Santista,principalmente a linha Minerva e suas tonalidades, quando eu ia comprá-las ficava admirando suas cores uma mais fascinante que a outra, possuia tons que encantavam e que ninguém conseguiu reproduzir com o mesmo efeito, fora que eram novelos fartos e de grande rendimento, tenho muita saudades!!! e ainda tenho esperança de que um dia voltem a serem novamente vendidos como antigamente. Enviado por patrícia - patriciakamargo@hotmail.com
Publicado em 27/07/2011 Lãs como do lanifício santista nunca mais encontrei fazia-se casacos era praticamente para a vida toda.Tenho casacos com mais de 40 anos em perfeito estado.Que saudades desse tipo de lã. Enviado por Jandira Bona - jandira.bona@terra.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »