Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias São Paulo FC, meu amor Autor(a): Luiz Renato Ribas Silva - Conheça esse autor
História publicada em 16/01/2008
Eu era ainda menino, 1943, morador nas Perdizes, Rua João Ramalho, 277, de lá até ao Estádio do Pacaembu era um pulo: bastavam apenas 15 minutos, andando sem pressa.
Assistia desde o jogo dos aspirantes, que precedia a partida principal. E a minha paixão pelo futebol começou com o time do São Paulo, jogando contra o Juventus, num sábado, sem sol, meio chuvoso.
Estava agarrado ao alambrado, com os olhos arregalados nos jogadores, como se ídolos meus já fossem. E nesse dia aconteceu o frenesi da minha vida.
Fui testemunha como muitos - agora são poucos os vivos para contar - do famoso e lendário gol de bicicleta do "Diamante Negro", o Leônidas da Silva. Parece, até, que foi hoje.
Leônidas, em pleno ar, com o pé esquerdo, mandou, de costas, a bola para o fundo do gol juventino, que ficava do lado da entrada do Pacaembu.
Na equipe os campeões de 1943: King (Gijo e Mário), Piolin (Savério) e Vergilio (Renganeschi); Zezé Procópio (Bauer), Rui e Noronha (Zarzur); Luizinho (Barrios e Friaça), Sastre (Ponce de Leon), Leônidas, Remo e Pardal (Teixerinha), treinados por Jorge Gomes Lima, o "Joreca".
O São Paulo ainda levantou os títulos paulistas de 45, 46, 48 e 49 dos quais participei, como expectador, em todos os jogos vencidos ou perdidos. No Pacaembu ou no Parque Antarctica.
Mas foi exatamente a 15 de dezembro de 1946 a minha grande emoção, como torcedor do "Mais Querido", na despedida do argentino Sastre "El Maestro", jogando contra o River Plate, diante de mais de 70 mil pessoas + 1, que o aplaudiram de pé no Pacaembu.
No ano de 1948, ganhamos o título com os campeões mundiais de 1958, na Suécia, o Vicente Feola, treinador, e o Mauro, beque central.
Nesse ano eu era o goleiro, conhecido como "Xavier", do Colégio Rio Branco. Tinha apenas 17 anos quando fui convidado a treinar no "Tricolor do Canindé", pelo próprio Feola.
Treinei no time principal, com o Mauro, campeão mundial em 1958 na Suécia, como zagueiro. Dei vexame e perdi as contas dos gols que levei, talvez pela falta de experiência de jogar num campo grande, o oficial.
Naquela manhã, estava no banco, assistindo ao treino, o Leônidas, que não jogava mais. Ainda joguei, como titular, naquele mesmo dia, num campo menor, como goleiro do juvenil do São Paulo, contra o Colégio São Bento, apagando o vexame do treino daquela manhã.
Hoje, 64 anos depois, continuo a ser um sãopaulino roxo e orgulhoso, por um clube que já conquistou todos os principais títulos do mundo. Não falta nenhum mais. Falta?

e-mail do autor: ribas@cinevideo.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 13/01/2013 Luiz, muito bonita a sua história.A propósito, você sabe quando faleceu o goleiro King? Sei que depois do S.Paulo ele jogou no XV DE Piracicaba na década de 50. Ele faleceu lá, mas não sei a data. Enviado por Nelson José Xavier da Silva - njxavierdasilva@yahoo.com.br
Publicado em 27/01/2010 Porisso que eu amo o meu TRICOLOOR ! Enviado por Amanda - maandyy_2009@hotmail.com
Publicado em 11/10/2009 Lendo o comentário do leitor Altair Siqueira Macedo, percebo a forma desrespeitosa com que tratou ao sr. Mario Lopumo que, na primeira postagem abaixo, teve intenção de esclarecer as dúvidas suscitadas em seu artigo acima sobre a escalação do SPFC em 1943, inclusive citando o jogo de estréia do goleiro Mário em jogo contra o Taubaté (derrota por 3x1), provavelmente amistoso, em 21/03/1948. Recomendo ao sr. Altair conferir a história daquela agremiação em http://www.futebolpaulista.com.br/clube Enviado por josé alberto de souza - joalso37@gmail.com
Publicado em 01/11/2008 NOSSA COMO O ROGÉRIO CENI É BOM DE BATER ATE FALTA DE FORA DA ÁREA E PENALTE HAHAHAAHAHAHAHAAHAH Enviado por andre luis santana - andre_luiz_santana@hotmail.com
Publicado em 05/08/2008 As grandes conquista do tricolor do morubi comessaram des de muito tempo,assim é o tricolor,grande pelo nome e grande nas conquistas!valeu tricolor! Enviado por gaguinho - gaguinho@hotmail.com
Publicado em 05/08/2008 As grandes conquista do tricolor do morubi comessaram des de muito tempo,assim é o tricolor,grande pelo nome e grande nas conquistas!valeu tricolor! Enviado por gaguinho - gaguinho@hotmail.com
Publicado em 27/05/2008 Caro Sr.Luiz Renato em 1958 os campeõe mundias do São Paulo não foram só Feola e Mauro,tivemos De Sordi e Dino Sani e por injustiça o maior ponta esquerda do Brasil Canhoteiro não foi pra copa.Saudações tricolores,apesar de ter jogado nas equipes do Corinthians de 1961 a 1964. Enviado por José Carlos Passos - passos45@bol.com.br
Publicado em 30/01/2008 Olá Doris Day, titulo não falta mais. Falta, agora, voce, também contribuir com uma crônica sobre o "Mais Querido", para enciumar, ainda mais, as galeras inimigas... Enviado por luiz renato ribas silva - ribas@cinevideo.com.br
Publicado em 23/01/2008 Salve o Tricolor Paulista..... Você perguntou, eu respondo:
NÃO FALTA !
E viva o São Paulo...
Enviado por Doris Day - dorisdaybrasil@gmail.com
Publicado em 22/01/2008 Prezado leitor Altair, tricolor da gema, com seus 79 anos de muita história e conhecimento, como poucos, do nosso São Paulo F.C., lhe agradeço, de coração, seus comentários, refazendo equivocos de leitores, não tricolores, ao mesmo tempo gostaria muito que voce também escrevesse um texto sobre o "Mais Querido". E em especial, sobre aquela antologia do Monsenhor Bastos, da Igreja da Consolação, que prendia os jogadores do time do Canindé, antes de um jogo importante. Enviado por Luiz Renato Ribas - ribas@cinevideo.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »