Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Eu tinha um cachorro chamado Joly Autor(a): Adelmo Vidal - Conheça esse autor
História publicada em 20/06/2008

Eu e meus irmãos tínhamos quase a mesma idade, com apenas um ano de diferença. Estávamos no Grupo Escolar Miss Brownne, na Avenida Pompéia, no bairro do mesmo nome, onde estudávamos pela manhã. À tarde, depois do almoço, juntava-nos a um grupo de garotos em disputadas peladas com uma bola de capotão, murcha, cheia de trapos. Meu cachorrinho, Joly, um Fox brincalhão intrometia-se na brincadeira, o que tornava a peleja mais disputada. Ao término da disputa, guardávamos a bola em minha casa. Jogávamos a bola embaixo do tanque, onde a pegaríamos no dia seguinte. Num certo dia, tivemos que sair com nossa mãe. Quando chegou a hora de costume, os garotos vieram buscar a bola. Meu avô, que morava conosco, explicava, sem sucesso, que não sabia onde estava a bola. Os garotos insistiam e não arredavam pé. É quando aparece Joly com a bola na boca, abanando o rabo alegremente. Afinal, ele também gostava e participava da brincadeira.

e-mail do autor: adelmovidal@uol.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 26/11/2009 Incrivel. Eu também tive um fox chamado Joly. Minha irmã Neide, fazia francês e me disse que esse nome signficava bonito. A cadela de minha vizinha deu cria e me apoderei de uns dos filhotes. Escondi numa caixa embaixo de uma máquina de costura de minha mãe, mas logo foi descoberto. Foi o único animal de estimação de minha infância. Quando meus pais morreram e mudamos para Bauru, trouxemos o Joly. Anos mais tarde ele morreu atropelado. Nunca mais tive cachorro... Enviado por Inês Ferreira - inesjornalista@ananery.com.br
Publicado em 24/06/2008 Adorei a Joly. Como tenho e sempre tive cães, sei o quanto são companheiros e parceiros das crianças. Nem precisam falar, não é mesmo? Enviado por ana maria lisbôa mortari - anamariamortari@gbol.com.br
Publicado em 21/06/2008 Endossando, amo os cachorros de paixão e eles excelentes jogadores. Segundo os meus filhos, os nossos jogam melhor do que os jogadores da seleção. Abraços. Mirça Enviado por mirça bludeni de pinho - by_laser@yahoo.com.br
Publicado em 20/06/2008 Vidal, posso até ver o Joly com a bola na bocarra, todo contente, o rabo abanando, a mostrar que..."eu achei a bola, quero jogar, também" Delicioso raconto, Adelmo.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@terra.com.br
Publicado em 20/06/2008 Ah! Saudades da bola de capotão. Boa pra cachorro rsrsrsr Enviado por Pedro Nastri - p.nastri@yahoo.com.br
Publicado em 19/06/2008 Uma graça a sua história, Adelmo.
Conta mais.
Enviado por Berenice S. Rabello - doris.rabello@uol.com.br
Publicado em 19/06/2008 Cachorro e bola são os melhores amigos de uma criança ! Enviado por Luiz S. Saidenberg - saidenberg@ajato.com.br
Publicado em 19/06/2008 Adelmo, uma tenho uma poodle, de nome Laila é a alegria aqui de casa.
Historinha muito legal gostei.
Abraços:carlaortt@bol.com.br
Enviado por Carlos Roberto Teixeira Trindade - carlaortt@bol.com.br
Publicado em 19/06/2008 Adelmo: Do jeito que a seleção Brasileira está jogando, acho que o Joly com certeza tem um lugar de titular no time do Dunga.Um abraço Ailton. Enviado por Ailton Joubert - ailtonjoubert@hotmail.com.br
Publicado em 19/06/2008 Eu também tinha um cachorro. Era todo branquinho. Seu nome Boby. Ele não gostava de bola, porque um dia dei-lhe um petardo que chorou pra chuchu. O que ele gostava mesmo, era de correr atrás de carros e bicicletas latindo feito louco. Era tão arisco que nem os laçadores da carrocinha conseguiam pegá-lo. Enviado por Mário Lopomo - mlopomo@uol.com.br
« Anterior 1 Próxima »