Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias A nuvem amarela Autor(a): Lygia Bradnick - Conheça esse autor
História publicada em 26/11/2008

Aconteceu numa tarde. Estávamos em aula no Colégio Paulistano, onde eu fazia o último ano do ginásio, com quinze anos. Da professora não me lembro o nome, só que era jovem e que ficou apavorada, como todos nós.

A classe tinha janelões imensos, dando para o jardim e para a rua. Estávamos, naquela tarde, como sempre, falando sem parar uns com os outros - os meninos, do outro lado da sala, paquerando as meninas -, enquanto esperávamos a professora chegar. Era uma tarde comum, de sol, céu azul, nuvens, que víamos das janelas.

De repente, alguma coisa começou a mudar. Devagarzinho, tudo lá fora e dentro da classe começou a ficar amarelado. Olhamos para fora, o céu ainda era azul, mas havia um filme amarelado sobre tudo. Quase cor de chá fraco. Dentro da classe, o mesmo aconteceu, e foi ficando ainda mais escuro. A professora, que a este ponto já estava em classe, parou de falar o que havia começado. Foi olhar pela janela. Voltou, olhou para a classe atrás de uma nuvem espessa amarelada, enquanto perguntávamos em voz alta: “Professora, o que é isso?”.

Podíamos sentir o medo que havia tomado conta dela também. Nunca havíamos visto nada igual; não era uma escuridão normal anunciando chuva, não era cinzenta, era perfeitamente amarela.

A professora saiu correndo para chamar a diretora e ambas ficaram ali, juntas, sem saber o que dizer, olhando, ora pela janela, ora para os alunos, que a este ponto quase desapareciam atrás da coisa. Sei disso porque não conseguia mais ver as feições da minha colega do lado. Foi simplesmente horrível.

Passaram-se uns cinco minutos, em que ninguém se mexia. Lembro-me do pavor que tomou conta de nós. Alguns diziam que o fim do mundo chegara, outros que era coisa de disco voador.

Pouco depois, a nuvem amarela começou a se levantar e desapareceu. Lá fora, o sol continuava forte e não houve chuva.

Esta narrativa é verídica, aconteceu em 1966. Será que alguém se lembra da nuvem que envolveu São Paulo? Ou será que a coisa foi mais local? Até hoje nunca recebi uma explicação para esse fenômeno.

e-mail do autor: lymarsouz@live.co.uk

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 26/04/2011 eu acredito pq agente não pode dizer que e mentira sem ver e isso e um risco de vida as pessoas podem ate morrer Enviado por yasmincosta - yasminassis10@hotmail.com
Publicado em 15/12/2009 Achei o seu post exatamente depois de ter procurado por nuvem amarela no Google. Estou vendo uma agora pela janela do escritório, junto à nuvens escuras de um verdadeiro temporal.
Me chamou muito a atenção, amarela mesmo, destacada no meio das outras e parece começar a se dissipar com a movimentação dos ventos
Enviado por douglas - dougsarr@hotmail.com
Publicado em 15/12/2009 Faco de suas palavras as minhas...estou na minha janela...incrivelmente vendo essas nuvens amarelas...tb pesquisei no Google!! hahaha Enviado por Fabio - fabio_cshop_sp@hotmail.com
Publicado em 19/04/2009 Prezada Lygia, colocando de lado as brincadeiras, já vi esse fenômeno ao ar livre, na época da seca quando as pessoas fazem queimadas nos terrenos baldios e levanta aquela fumaça espessa e branca e a luz forte do sol fica filtrada pela nuvem e faz amarelar tudo em volta; quanto ao fenômeno ultrapassar paredes e ocorrer no interior da sala de aula, é como dizia aquela atriz famosa (Míriam Pires), MISTÉÉÉÉRIO! Chamem o padre para jogar água benta...Bernardi. Enviado por Ernesto Bernardi - ernestob1144@gmail.com
Publicado em 27/11/2008 Falcon, ninguem estava de oculos,nao. Foi sério mesmo, horrivel, apavorante. Nunca esqueci. Era uma nuvem estranha, escura, dentro da classe e fora. Emais uma coisa, como entrou pelas janelas fechadas???? Enviado por Lygia - lymarsoz@live.co.uk
Publicado em 26/11/2008 Nuvens amarelas, azuis, negras...em São Paulo tudo é possível. Enviado por Luiz Simões - saidenberg@ajato.com.br
Publicado em 26/11/2008 Lygia. Ontem dia 26/11/2008, por coincidência, o céu ficou muito parecido com o que você descreveu. Foi bem no fim da tarde. O céu estava nublado e escuro para os lados do poente mas no lado oposto estava com uma coloração amarelada, como se estivesse iluminado pelo sol. Era prenúncio claro de chuva, o que só veio a ocorrer bem mais tarde, em pontos isolados. Não deve ser um fenômeno muito freqüente pois a diretora da escola, em pleno séc.XX ficou assustada. Enviado por Tony Silva - silva.luiz2006@ig.com.br
Publicado em 26/11/2008 Tambem fiquei curiosa pra saber do que se tratou este fenomeno.Imagino o desespero de todos. Enviado por Etel - ebussbuss@gmail.com
Publicado em 26/11/2008 Lygia por acaso a nuvem sumiu quando vocês retiram os óculos escuros?
Falcon
Enviado por Marcos Falcon - marcosfalcon@uol.com.br
Publicado em 25/11/2008 Lygia,muito interessante seu relato. Vou aguardar os comentários, para ver se algúem tem alguma explicação. Fiquei curiosa.
Um abraço / Bernadete
Enviado por Bernadete P Souza - bernadete.pedroso@norwan.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »