Leia as Histórias

Categoria - Personagens Praça 28!!! Autor(a): Luiz Simões Saidenberg - Conheça esse autor
História publicada em 27/01/2009

O Ayrton foi o cara mais divertido que já conheci numa agência de propaganda. Era o palhaço da turma. Simpático e bem vestido, à primeira vista, ninguém o diria. Mas logo seu rosto, como de borracha, contraía-se em caretas surpreendentes, e não dava mesmo para levar a sério.

Gozava com todo mundo; era produtor de TV, mas a sua real ocupação era inventar brincadeiras com o pessoal. Colocava sacos com talco sobre as portas, de modo que a pessoa que abrisse ficasse toda empoeirada. Organizava os disputados torneios de pebolim, na hora do almoço.

Montou um cineclube após o expediente, onde vi muita coisa boa, inclusive Cidadão Kane, de Orson Welles, O Silêncio e Morangos Silvestres, de Bergman. Mas nem sempre tal nível era mantido, de vez em quando era mesmo uma fita pornô, em preto e branco.

Havia outra brincadeira, na qual pedia a um ingênuo para equilibrar uma moeda na testa, de modo a tentar derrubá-la num funil colocado abaixo, para ver se a moeda passava. Mas o funil estava tampado, e quando o coitado baixava a cabeça, recebia um jato de água do recipiente.

Fora isto, era sério e competente em sua função, que exercia com dignidade, coisa surpreendente no clima de corrupção, caixinhas e "bolas" que imperava entre os produtores da época.

Mas sua principal característica eram habilidades extraordinárias; vertia lágrimas na hora que queria; soltava fumaça pelos ouvidos e bolhinhas de saliva pelo nariz.

Generoso, dava carona aos colegas pedestres, que iam para seus lados. Entrávamos na sua DKW e seguíamos 9 de Julho afora, pois eu ia ficar na altura do Planalto Paulista. Nesse trajeto, passávamos pela Praça 14 Bis, onde a réplica do avião de Santos Dumont decorava seu canteiro central. O bom Ayrton proclamava então, com sua voz parecida com a de Ronald Golias: - Praça 28!!!

Essa grande figura já passou para o andar de cima, mas a praça ficou sendo, para mim, para sempre, 28. Mesmo desfigurada, com viaduto e passarela no meio, sem avião, não tem importância: é Praça 28, e acabou.

e-mail do autor: saidenberg@ajato.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/01/2009 Saidenberg: Um amigo "palhaço" faz da nossa vida um circo de alegrias e surpresas - às vezes não tão agradáveis. Quando se vão, de alguma forma, como os verdadeiros palhaços que morrem, levando a alma do circo, eles levam um pouco da chama da nossa alegria. Mas o espetáculo deve continuar e a gente encontra outro muito bom, mas não tão grande como o "palhaço" que, por muito tempo, alegrou nosso cotidiano. Abração, Natale. Enviado por Wilson Natale - wilsonnatal@uol,com.br
Publicado em 28/01/2009 Muito obrigado. Ayrton era mesmo uma figura excepcional, e em bons sentidos, e lamento sua ausência. Quanto à praça, mesmo 28, nunca mais será o que já foi. O avião foi mesmo para a Pça Campo de Bagatelle, e creio que continua la´...espero! Abraços. Enviado por Luiz Simõess - saidenberg@ajato.com.br
Publicado em 27/01/2009 Toda turminha tem o "palhacinho"! E acho que esses palhacinhos é que estão fazendo falta neste mundo!
um abraço
marcia ovando
Enviado por marcia ovando - marcia.ovando@bol.com.br
Publicado em 27/01/2009 As pessoas bom humoradas eh que dao o colorido nossa vida. E viva o Airton, onde estiver!! Enviado por Etel - ebussbuss@gmail.com
Publicado em 27/01/2009 Muito divertido Saidenberg! O Ayrton deve estar fazendo à festa com a turma lá de cima. Gostei da "Praça 28". Vou acabar lembrando-me dele e de você também, sempre que passar por lá.
Um abraço/Bernadete
Enviado por Bernadete P Souza - bernadete.pedroso@norwan.com.br
Publicado em 26/01/2009 Você já perceberam que às vezes basta uma palavra,um gesto, uma atitude pra que determinadas pessoas fiquem para sempre em nossa lembrança? Esramos quatro amigos estudantes e discutiamos se iriamos à pizzaria A ou B. O Dorival deu o cheque-mate: vamos à B porque lá a pizza é maior e a qualidade que se dane!Até hoje, sempre que vejo pizza lembro-me do bondoso Dorival. Abraços do Mancini pelo texto, como sempre,irrepreensível. Enviado por Mancini - d-mancini@uol.com.br
Publicado em 26/01/2009 Pena, Luiz, que talentos e figuraças como seu amigo Ayrton sejam levados sempre muito cedo para o andar de cima. Esses tipos inesquescíveis deveriam ser eternos para dar colorido e alegrar a vida das pessoas. Bela homenagem e um lindo texto. Enviado por Paulo Fábio Roberto - fabbito@uol.com.br
Publicado em 26/01/2009 Saidenberg, como sempre com sua belas narrativas.
Parabéns! Um abraço.
Enviado por asciudeme joubert - asciudeme@ig.com.br
Publicado em 26/01/2009 Fico aqui a imaginar que bela dupla dariamos eu e teu amigo Ayrton.
Coitados dos que viessem a conviver conosco....
Enviado por Miguel - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 26/01/2009 Saidenberg bem aventurado sejam os bem humorados pois deles será o reino dos céus.
Grande abraço
falcon
Enviado por Marcos Falcon - marcosfalcon@uol.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »