Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Caxingui/Previdência, fusão de duas comunidades Autor(a): Joaquim Ignácio de Souza Netto - Conheça esse autor
História publicada em 15/07/2009

Em abril de 1954 vim com meus pais para o conjunto residencial recém inaugurado pelo IPESP no Caxingui; acredito que fomos a terceira família (a primeira foi a do já falecido Nicola Damico) a morar no que pouco depois seria chamado de "bairro" da Previdência, com centenas de casas vazias que iam sendo ocupadas a pouco e pouco.

Na época era um bairro de funcionários públicos estaduais, jornalistas, radialistas e pessoal da TV.

Em relação ao Caxingui propriamente dito, tínhamos muitas vantagens: a água era captada do riacho Pirajussara, bombeada até onde hoje se situa o Parque Previdência, tratada e, por gravidade, distribuída por todo o conjunto residencial; existia uma rede de esgoto para todo o bairro, e o tratamento era feito às margens do Pirajussara, no fim da rua "C", hoje Rua Roquete Pinto, e só então despejado em suas águas.

Condução, nem pensar! Aliás, havia sim: dois ônibus da Viação Bandeirantes que iam do distante bairro do Taboão da Serra até a Rua Formosa, na confluência com a Ladeira da Memória, no Vale do Anhangabaú, um indo e o outro voltando, uma tortura! A saída era andar até o Largo de Pinheiros para se tomar o bonde para o centro da cidade, chovesse ou fizesse sol. Com o passar do tempo a coisa foi melhorando, tivemos até uma limusine Hudson 1929 que ia do Previdência até o muro do Jockey Club, pelo módico preço de 500 réis por passageiro. O serviço, porém, durou pouco porque a CMTC colocou uma linha de ônibus que fazia ponto final sob o Viaduto do Chá, linha essa que, anos depois, estendeu-se até o Jardim Bonfiglioli (outro fim de mundo).

Com o passar de muitos anos, o Previdência uniu-se ao Caxingui, pois se acabaram as soluções de continuidade da antiga Estrada de Itapecerica, atual Avenida Prof. Francisco Morato. Acabou, também, um certo desconforto (digamos assim) que havia entre os grupos de jovens dos dois bairros, hoje um bairro só. A coisa só começou a melhorar quando os futebolistas do Previdência começaram a jogar nos times do Caxingui. Jogadores pioneiros foram os irmãos Jonas e Marcos, Airton, Jabaquara e seu irmão Neneco, Pedrão, Tide, Peleque, Chicão e outros, eu, inclusive, que acabei jogando pelo Nacional.

Em havendo oportunidade, pretendo continuar com essa epopeia. Contribuam com suas histórias e estórias. Vamos abrir o jogo de nossas vidas.

e-mail do autor: ignacio.netto@bol.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 16/10/2010 Adorei esta história, tenho muitas pra contar deste mesmo bairro, cheguei lá em 1960 com 6 anos, vivi,a infância, adolescência e juventude, até me casar, que época maravilhosa,carrinho de rolemã,pipas, bicileta,festas juninas, discoteca, mingua no São paulo...só felicidade, parabéns inácio Enviado por maria beatriz soares de oliveira vaz - bibisovaz@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »