Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Vila Andrade Autor(a): Lili Lima - Conheça esse autor
História publicada em 03/01/2010
Sou da Vila Andrade. Adoro tudo daqui não troco por lugar nenhum do mundo! Eu não sei muito sobre a história do meu bairro, mas nasci em Santo Amaro e desde que me entendo por pessoa eu vivo aqui! Encontrei apenas isso sobre meu bairro: Vila Andrade vizinha da Vila das Belezas, meu lugar!

Na divisa com o bairro do Morumbi, está a Vila Andrade. Com mais de 75 mil moradores no censo de 2000, a expectativa é que a população do bairro salte para quase 134 mil nos próximos dois anos. Em virtude de ter pertencido em tempos passados à Fazenda do Morumbi, a história da origem das terras da Vila Andrade se confunde com a do bairro nobre de São Paulo.

Já no século XX a área pertencia à rica família Pignatari. Nos anos de 1930 e 40, o banqueiro Agostinho Martins de Andrade possuía uma grande chácara no local que utilizava como recanto de descanso de sua família.

Depois de um tempo, após a morte do banqueiro, seus filhos venderam as terras, no final dos anos de 1950, para uma empreendedora, cujo um dos sócios era o proprietário da atual Camargo Corrêa. Assim, logo que a região foi loteada recebeu o sobrenome de Agostinho como homenagem.

Nas décadas seguintes até os dias atuais, a Vila Andrade não parou de crescer. Hoje, possui diversos empreendimentos, principalmente edifícios, que a faz ser considerada uma pequena Morumbi.


E-mail do autor: jojo_zem@hotmail.com E-mail: jojo_zem@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 01/02/2010 O Sr. Agostinho foi meu avô. O sítio da família foi transformado em diversos bairros da região. Além da Vila Andrade foram loteados os Parques Araribá(com acento agudo na última sílaba), Ingá, Ipê e Regina. Todos os empreendimentos foram realizados pela própria família Andrade em sociedade com outros empreendedores da região.
Poucos restam que conhecem sua importante história para a região de Santo Amaro.
Enviado por Jorge Luiz de Andrade - jorge.andrade@salf.com.br
Publicado em 03/01/2010 Lili, seu bairro, realmente é um bairro classe A ,já nasceu portentoso,bonito, como morador da V. das Belezas, conheço bem seu bairro,realmente é em homenagem a familia dos Andrades que tinha fazenda ai juntamente com a fazenda dos Abrantes e de D.Benta da fazenda do Chà, ambas hoje Vila das Belezas, parabéns pelo tema,interessante dizer que o Morumbi é como se fosse uma cidade com muitos bairros, desde a Av. Francisco Morato até a Estrada de Itapecirica chamamos de Morumbi,parabéns,Estan Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 03/01/2010 Lili, como é bom gostar de onde se mora! Enviado por lygia - lymms7@hotmail.com
Publicado em 03/01/2010 Um início auspicioso no formidávrl site da nossa querida cidade. Bem descrita, historicamente enriquecida com detalhes curiosos sobre famílias que souberam enriquecer e tornar mais atraente nossa SP. Quero ver seu nome em comentários de outros escritores, vc. entrando para o grupo de colaboradores. Parabéns, Lima.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 03/01/2010 Existe controvérsias quando aos donos da fazenda Morumbi. É a primeira vez que ouço falar que a família Pignatari eram os proprietários. Morei muitos anos nas proximidades do Morumbi desde os anos 1940, e o que se dizia na época, era de que a fazenda era de uma família de alemães que tiveram as terras surrupiadas pelo governo durante a segunda guerra mundial e que políticos ligados a ditadura Vargas, tomaram conta dela toda, depois lotearam. Onde se localiza a Vila Andrade é o local que Burle Max, fez o seu jardim de onde ele retirava as plantas para suas obras como o maior paisagista que tivemos por aqui. Enviado por Mário Lopomo - mlopomo@uol.com.br
« Anterior 1 Próxima »