Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Que saudade do Centro Antigo Autor(a): Alderiva B. Negri - Conheça esse autor
História publicada em 25/06/2010
Em 1969, ano em que comecei a trabalhar, morava na Rua D. José de Barros, em um apartamento pequeno, mas muito aconchegante. Quase em frente, ficava o Cine Olido, que eu achava bacana. Na região do Paissandu, havia pelo menos cinco cinemas muito bonitos. Era só descer do apartamento e escolher o filme que queria ver. Lembro-me que ainda tive a chance de assistir a apresentações de piano, antes das sessões do Cine Ouro.

Bem perto, na Rua Barão de Itapetininga, havia a Vienense, uma confeitaria que também tinha um pianista (não me lembro se era homem ou mulher). Muitas vezes ia lá tomar o chá das cinco, embora fosse um programa para pessoas idosas.

Para minha sorte, trabalhava no Grupo CVB, em um prédio moderníssimo, um luxo, na esquina do Paissandu com a Antônio de Godoy. Era só atravessar o largo e já estava no trabalho. Na Antonio de Godoy havia a padaria e confeitaria Italiana, na qual comprávamos massa fresca para os almoços de fim de semana.

O melhor de tudo é que não precisava enfrentar trânsito para nada, nem precisava tolerar flanelinhas e a impessoalidade dos shoppings. E no geral, as pessoas eram bem menos estressadas.

Ainda gosto muito da São Paulo de hoje. Mas não acho que se compare com a ‘SAMPA’ de antes, talvez porque naquela época era muito jovem e via a vida e a cidade com óculos cor-de-rosa.

Ah! Havia ainda a famosa garoa.

Vou parar por aqui, porque tenho memórias para preencher umas 20 páginas.
E-mail: derinegri1@uol.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 27/11/2012 Trabalhei na CVB em 1974 e lembro bem da Padaria Italiana, sempre que batia uma fome ia comprar pizza brotinho. Bons tempos... Enviado por Everaldo Pereira Guimarães - evepguimaraes@hotmail.com
Publicado em 14/09/2011 Alderiva aqui neste espaço informo que na Confeitaria Vienense da Barão quem tocava era uma senhora de origem alemã;passei momentos marcantes naquele local todo fim de tarde,pois trabalhava em uma cia de seguros na Conselheiro.Bons tempos que não voltam mais,o perigo é constante,fui até a pouco tempo assaltado em plena ~Barão em pleno meio dia.Estou morando agora em Joinville Sc aqui é menos perigoso,mas já começa acontecer alguns casos.Abraços Enviado por airton irineu dos santos - airton.cercal@hotmail.com
Publicado em 12/11/2010 Alderiva, tambem trabalhei na CVB. Aliás trabalhei em ambos os predios o da rua Conselheiro crispiniano e o da rua Antonio de Godoi. Na conselheiro trabalhava no setor de engenharia que se aplicava na epoca na construção do edificio novo na Antonio godoy. Na Antonio de Godoy passei para o setor de suprimentos. Qual o departamento que voce trabalhava? Quem sabe ja até almoçamos juntos no restaurante da firma. Bons tempos aqueles!!! Saude e felicidades. Enviado por joao josé basso - jjb@ajato.com.;br
Publicado em 20/10/2010 Sou paulistano nato!Praticamente me arrancarão meu São Paulo.No fundo te falo quase todos os dias sonho com São Paulo,desda adolescência, descedo"LÁ"nas Praça das Bandeiras,as escada do vale do Anhagabaú,andando pela rua barão de Itapetiniga,que cruza com a Ipiranga até o paissandu.Sera que ainda tem aquele povo que faz teatro na rua?Sera que tem camelódromo vendendo de tudo na 25 de março e demais lugares?Gente apressada?Sera?Que saudade poluição!rsrs!Mede uma chance?O filho prodigo que voltar. Enviado por Marcelo Gonçalves Peixoto - marcello.paulista@hotmail.com
Publicado em 08/07/2010 Alderiva, eu ia toda semana na Confeitaria Italiana comer a famosa pizza individual, e se você gostava de livros deve lembrar da Livraria Hemus (Ex-Exposição do Livro)na Av São João 512, quase esquina com o Lgo do Paissandu, que era vizinha de um hotel que esqueci o nome e do famoso bar chamado 518, virando a esquina tinha o Ponto Chic (o verdadeiro). Você tem toda razão, se começarmos a lembrar dos bons tempos do centro de SP, vamos precisar de mais um site... Enviado por Uri Behar - iub@uol.com.br
Publicado em 01/07/2010 Alderiva, aliás o Banco que tinha abaixo do antigo predio da CVB era o Banco Nacional do Comercio de São Paulo e não o de Minas...pois esse era outro... Enviado por Flavio Rocha - flaviojrocha@bol.com.br
Publicado em 01/07/2010 Gratas recordações de um tempo gostoso de São Paulo, Alderiva. Essa Padaria Italiana era muito famosa, tinha de tudo, padaria finíssima, muito bonita, hoje é um restaurante no local. Essa empresa do Sebastião Paes de Almeida, mudou depois de nome, passou a chamar C.B.V. Cia. Brasileira de Vidros, Flávio Rocha? Enviado por Pedro Luiz Boscato - plboscato@uol.com.br
Publicado em 28/06/2010 Olá, gostei do seu texto;parabéns.
Também tenho minhas memórias do centro, veja:
http://www.saopaulominhacidade.com.br/list.asp?ID=2009
abraços
Enviado por Cleidiner Ventura - cleidiner@terra.com.br
Publicado em 27/06/2010 Alderiva, você em 1969 era a "prima rica", pois eu, mais de 10 anos antes (1958) trabalhava também na CVB (Companhia de Vitrais Brasil) com seu Presidente, Sebastião Paes de Almeida (que foi inclusive Ministro da Fazenda), porém ainda era no antigo e modesto predio da rua Conselheiro Crispiniano, quase esquina da 24 de Maio,onde embaixo havia o Banco Nacional de Minas Gerais e bem em frente do salão de bailes Trocadero...Abraços Enviado por Flavio Rocha - flaviojrocha@bol.com.br
Publicado em 26/06/2010 Era mesmo um lugar maravilhoso. Naquela época, Alderiva. Hoje não recomendo a ninguém que passe por lá. Se fizer isto, vai entender o porquê. Abraços Enviado por Geraldo Kalili - geka66@terra.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »