Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Futebol Dente de Leite - Meninos eu vi Autor(a): Paulo Henrique Zandor - Conheça esse autor
História publicada em 15/10/2010
Quem tem entre 50 e 60 anos ou mais, com certeza se lembra do Futebol Dente de Leite da TV Tupi, organizado por Roberto Petri, Ely Coimbra e Sergio Baklanos. As manhãs de sábado eram repletas de emoções para os seis times que se revezavam em dois tempos de 15 minutos no Campo do Nacional, o Nicolau Alayon, que deve até hoje deve ter como recorde de público o jogo final entre Nacional e São Paulo, vencido pelo primeiro.

Eram cerca de 16 times, que jogaram um único turno todos contra todos. Os times representavam os quatro cantos da cidade e cada time revelou muita gente boa de bola. Muricy Ramalho, o maior de todos. O São Paulo que foi a grande sensação tinha um timaço e seu ataque (Waltinho, Muricy, Colonese, Ministro e Vitor Hugo) ainda é tão lembrado como o ataque do Grande Santos Futebol Clube (Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe).

O Clube Atlético Ypiranga, tinha Mug, Armandinho, Renatinho, Stela, Albertinho. O Pinheiro tinha um meio esquerda sensacional que driblava para frente, chamado Marcelo Vella, e também tinha Bittencourt de volante e fechando o meio de campo, um tal de Caneco (que é ninguém menos do que o ator Marcos Frota, ex-marido da Carolina Dieckmann). O Penha, tinha um meia baixinho e habilidoso de nome Biquinha, que depois jogou na Portuguesa e no Palmeiras, e um centro avante negro forte que era conhecido como Linha.

O Matarazzo tinha Walquir na ponta-direita, Primo Pompílio na lateral esquerda, Feijão na meia-direita, Cuca, centro-avante implacável e goleador e Mosca, médio volante, pegador que sabia sair para o jogo e que juntamente com Primo foi jogar no São Paulo. O Brasil da Pompéia, revelou Amaury que jogou profissionalmente pelo Corinthians e que cruzava as bolas para o centroavante Betão, alto e que lembrava muito pelo estilo de jogar o Ferreti do Botafogo do Rio. O Juventus tinha no gol Zé Carlos, que foi um dos goleiros do Dente de Leite que chegou à Seleção Brasileira Juvenil (o outro foi Mateus do Banespa e anos mais tarde, o Barbirotto do São Paulo) tinha ainda Sidney Papel na zaga central, Bizi um lateral esquerdo que caiu na graça do Rei Pelé (acho que o Pelé começou a dar fora aqui), Berto, outro centroavante goleador, mas que fazia um estilo mais clássico. Tinha o Esquerdinha, que jogava com a 10 e depois fez carreira e sucesso na Portuguesa e o primeiro Dentinho, que foi jogar no Botafogo do Rio de Janeiro como Rubens Nicola.

O próprio Nacional que foi campeão tinha entre outros, Toninho Vanusa, como seu destaque e que tinha este apelido em alusão a sua loira cabeleira e pelo fato da cantora Vanusa estar no auge (naquele tempo ela devia cantar sem errar o Hino Nacional), tinha Monga, o autor do gol do título de 1969 e mais, Ademir, Bió, Osmar, Mário Perez entre outros.

A Zona Sul era representada pelo E.C. Banespa que revelou entre outro Mateus (goleiro e que foi o primeiro a ser convocado para uma seleção brasileira de juvenil, naquele tempo ainda não se usava a expressão juniores) e que foi campeão no Chile juntamente com Muricy (ambos no caso já jogando pelo SPFC), tinha ainda um lateral direito fantástico, Laerte e um zagueiro central que saia jogando como só vi Luiz Pereira fazer, de nome Alcides (outro que jogou no SPFC), na reserva deste time tinha nada mais nada menos do que José Sergio Presti, depois anos mais tarde arrebentou no profissional sendo conhecido como Zé Sergio (São Paulo, Santos, Seleção Brasileira), tinha ainda Paulo Barbosa, meio direita cheio de raça, que depois jogou no Juventus. No Banespa ainda jogavam Paulo Sérgio, que jogou no SPFC também, e dois loirinhos no meio de campo LaSelva, o das livrarias LaSelva, e Paulo Roberto, que hoje mora em Londres e foi durante muito tempo Editor Executivo da Revista Exame da Abril.

Representando a zona central tínhamos o São Vito do Brás, que revelou Tostão, outro que também formou no SPFC (vocês reparam que estou falando de vários jogadores que depois formaram nos juvenis do SPFC. Vou contar numa próxima ocasião, a história do maior time infanto-juvenil que eu já vi jogar na minha vida, o SPFC de 1970 a 1973). A Portuguesa tinha um bom goleiro, Arnaldo, assim como o Clube de Regatas Tietê, o Marco Antonio.

Dava gosto acordar cedo, pegar primeiro o bonde, depois um ônibus até o centro e depois outro até a Lapa para assistir ao vivo os jogos do Dente de Leite. Principalmente quando o SPFC jogava, pois era sinal de casa cheia, com a torcida uniformizada do Senhor Silva (ah, quanta saudade daquele tempo em que torcida ia aos campos para torcer) e a famosa charanga são-paulina.

Estes "meninos" estão e ficarão para sempre na minha retina, pois dava gosto de vê-los jogar. O lema daquela turma era Bom de Bola, Bom de Escola. Dá tristeza ver hoje nossos pseudos craques esnobarem a torcida, derrubar técnicos e por ai vai. Por isto, quem viveu aquela época há de concordar comigo, quanta saudade...

Meninos, eu vi...

E-mail: idrzandor@ig.com.br E-mail: idrzandor@ig.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/01/2014

Fui o reserva da Lateral Direita do Nacional AC no ano da conquista do Título. O titular era o Valdir (Apelidado de Indio) que depois foi para o Palmeiras junto com o Toninho Vanusa e o Goleiro Gilmar. O Valdir jogou uns 3 anos no Time Principal do Palmeiras e depois uns 20 no Marília. Gilmar e Toninho Vanusa, tiveram mais sucesso. O então Lateral esquerdo Carlos Alberto (Apelidado de Taturana) chegou a ir para o SPFC, mas acabou jogando por muito tempo no Náutico. O Vinicius que era um baita 4º Zagueiro foi p/ o SPFC mas também não deu muita sorte. Meus companheiros de banco, Trajano (Ponta direita) e Mossoró (que quebrava o galho de goleiro mas era 4ºZag), foram para Juventus e Atlético PR respectivamente, lembro dos gols do Fantástico qdo o Trajano já estava no Operário de Campo Grande, e fazia muitos. E depois o Mossoró fez umas 3 partida pelo Corinthians, e é claro que eu estava no Pacaembu para vê-lo. Depois do Nacional disputei 2 Campeonatos do DEFE pela A.A. Matarazzo (1 na Categoria Dente e outro na Dentão). Vi um Post do Deoclides, que foi goleiro do Matarazzo, e me deu muita saudade daquele Caminhão preparado para nos transportar para os Jogos. Ele era fechado, com os bancos prá gente ir sentado, e por incrível que pareça, confortável. Nos trocávamos na Sede do Matarazzo e lá íamos nós para o Campo do Fiat Lux, que era a Sede do nosso grupo. Deoclides, se ler esse Post, no ano que eu era Dente de Leite, o Cuca, o Walquir, o Mosquinha, eram da Categoria Dentão, e talvez você também era. No Dente jogavam comigo, Chico Farisco, os 2 Gemêos Toninho e Mário, o Piauí, sobre a Batuta do Técnico Mané. Foi uma época maravilhosa que nunca vou esquecer. Uma época onde os jogadores adversários se tornavam nossos amigos. E reencontrei muitos deles, em vários cantos da Várzea, nos 30 anos que perambulei por ela. Se me estender mais, e começar a incluir os "causos" dá prá virar um livro. Gostaria de parabenizar o Paulo Zandor pela iniciativa e deixar um grande abraço a todos que de uma certa forma fizeram parte desses meus momentos inesquecíveis. Um grande ano a todos e muita saúde.

Enviado por angelorosa - angelorosa@ig.com.br
Publicado em 11/10/2013

Boa noite Paulo, fui goleiro reserva do São Vito do Brás, vindo do time do Educadário Dom Duarte, time do Moacir da seleção. Mas joguei contra o São Paulo de Muricy, Nacional do meu amigo Toninho Vanuza, se tiver fotos ou figurinha daquele ano gostaria de receber por email. Sinto muita saudades, Grande Abraço e Parabéns

Enviado por Kiko - masantos@ceagesp.gov.br
Publicado em 05/04/2013 Sou marquinhos joguei no meio de campo do Brasil da Pompéia e no Corinthians, gostaria de saber se tem reportagem, para lembra dos velhos tempos, se tiver favor me enviar. Fiz um gol do meio de campo na partida contra o Ypiranga, o goleiro era o maior da competição e pelo Corinthians joguei com Nobre, Genildo, Amauri o técnico era o Cabeção. Aos amigos favor entrar em contato (31)9807-0703. Se tiver me mande a escalação do Brasil da Pompeia e do primeriro time do Corinthians
não recebi reposta
Enviado por marcos jorge francisco - marcosjorgefrancisco@yahoo.com.br
Publicado em 01/04/2013 eu, como todo menino no Brasil, adorava futebol aos 13 anos de idade. Fui, juntamente com meus companheiros, campeão do primeiro DEFE, junto com os MENINOS FC de Rudge Ramos, vencemos o Bolas Olimpica na final e ganhamos a viagem a Argentina, o time era GILMAR, CELSO (XAN), DENTINHO, CAJUNA, VALMIR, LAERCIO, VALMAR E TUCA, CAIPIRA, SERGINHO, E MORETO, sem falsas modestias o melhor time da categoria no mundo. Segundo o jornalista Sergio Baclanos, a conquista na época, já, teve repercursão mundial. Na viagem, ganhamos do River por 7x1, do Britania do Paraná, por 2x0, empatamnos com o colorado 0x0 e perdemos para o inter de Porto Alegre, por 4x0, embora, jogando contra categoria diferente da nossa faixa etária.
Hoje, aos 55 anos, sou advogado e me lembro com saudades deste momentos.
Enviado por valmir - valmiradv10@yahoo.com.br
Publicado em 19/03/2013 Meu nome como jogador era Pintado, joguei em 69/70 pelo Brasil da Pompéia, aliás, vale lembrar que o "campeonato piloto" com o nome Dente de Leite e transmissão da Tupi, realizou-se no E.C.Pinheiros e fomos campeão, naquele time entre outros, jogava o Everaldo, alusão ao então lateral esquerdo que foi para a seleção, Everaldo era ninguém menos que o Wladimir do Corinthians. Parabéns e agradeço por nos proporcionar boas recordações. Enviado por ricardo decanini - rdecanini@bol.com.br
Publicado em 17/03/2013 Valeu muito, obrigado por esta história cheia de alegria e lembranças...
OBRIGDO
Enviado por Ernesto G. Nogueira Jr - ernestojunior@seade.gov.br
Publicado em 13/03/2013 Paulo, obrigado pelas lembranças! Um grande abraço a todos companheiros e adversários da época, do Laerte, lateral direito do Banespa! Enviado por laerte - laertepoiano@gmail.com
Publicado em 24/02/2013 ola paulo, bonita materia é de arrepiar muito bonito mesmo tenho muitas saudade deste tempo. eu sou o Renatinho do C.A.Y. sempre tenho contato com a maioria dos jogadores que vc relatou. um forte abraço Enviado por RENATO CALICCHIO - renatinhocalicchio@uol.com.br
Publicado em 12/02/2013 Salvo engano, o primeiro campeonato estadual realizado Secretaria de Esporte do Estado de São Paulo, onde as cidades jogam no mata-mata, teve a cidade de Piracicaba como campeã, época que teve como capa da revista placar e jogador revelação Tato que jogou na inter de Limeira e posteriormente no Palmeiras. Enviado por Mauro - mmerci@mauromerci.adv.br
Publicado em 27/01/2013 Olá, existe um nome no time do nacional que foi esquecido. Betinho, camisa 11 daquele time que foi campeão. Ele é meu pai e contou inúmeras vezes como foi esse campeonato e esse jogo em especial. Até pouco tempo atrás ele tinha a camisa desse jogo tão especial. Enviado por Alexandre - Inacio_alexandre@terra.com.br