Leia as Histórias

Categoria - São Paulo da cultura, gastronomia, lazer e oportunidades Presente de Natal Autor(a): Antônio Almeida - Conheça esse autor
História publicada em 10/12/2010
Com a aproximação do Natal, passei a recordar de minha infância.

De família pobre, meus brinquedos eram confeccionados por mim: carrinhos feitos de sobra de caibro de madeira e lata de óleo; perna de pau; carrinho de rolimã; cavalinho de cabo de vassoura e muitos outros.

Meu pai foi trabalhar na Prefeitura de São Paulo em 1958 e, na época que antecedia o Natal, era distribuída aos funcionários uma sacola com brinquedos para os filhos.

Nessa época, nós éramos sete crianças, e meu pai saía do Ibirapuera carregando as sacolas até a Vila Leonor na Zona Norte.

Era uma alegria só quando de sua chegada. A criançada se divertia e implorava para abrir a sacola com os brinquedos. Mas meu velho era durão e dizia: "Só no dia de Natal". E ninguém mexia nos presentes que ficavam em cima do velho guarda-roupa.

Esta distribuição por parte da Prefeitura durou poucos natais, passando a responsabilidade para o Governo Estadual (Ademar de Barros), que entregava presentes para as crianças que possuíssem um "Vale Presente de Natal" e quem conseguisse este cupom se dava por satisfeito.

E-mail: antonio.almeida01@ig.com.br E-mail: antonio.almeida01@ig.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 16/12/2010 Tenha um Feliz e Santo Natal.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 16/12/2010 Que alegria os presentes! Nem era preciso ser algo caro ou as modinhas de momento, bastava ser um brinquedo. Lembro-me de uma vez pular o portão de casa, que sempre ficava trancado, para buscar presentes para meus irmãos que um centro espírita estava distribuindo perto de casa no Ipiranga. Levei uma tremenda bronca de minha mãe, mas meus irmãos menores não reclamaram, mesmo porque minha mãe teve coragem de devolver e tirar a alegria deles. Boas lembranças. Enviado por Consolata Panhozzi - tpanhozzi@ig.com.br
Publicado em 14/12/2010 Antonio, seu relato me fez lembrar da minha infância, naquela época meu pai era um modesto operário e no Natal íamos buscar brinquedos que eram distribuidos pela Dna. Leono Mendes de Barros no antigo Largo São Paulo, tempos felizes! parabéns pelo texto, Leonello Tesser (Nelinho). Enviado por Leonello Tesser (Nelinho) - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 10/12/2010 Gostei desse seu relato. Há momentos da vida que não tem preço...Feliz Natal. Enviado por Trini Pantiga - trinesp@ig.com.br
« Anterior 1 Próxima »