Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Água funda - querida e amada Autor(a): Luiz Carlos Lourenço - Conheça esse autor
História publicada em 15/05/2011
A Água Funda sempre fez parte da minha história. Sou o segundo filho de Napoleão Augusto da Costa Lourenço e de Maria Carolina Montes Lourenço (já falecidos), mas ambos foram muito felizes neste bairro maravilhoso.

Para quem não conhece, o bairro da Água Funda é como se fosse uma cidadezinha do interior, os moradores ainda falam bom dia uns aos outros, além de ter uma beleza única! Tem o lugar mais belo da cidade: o Jardim Botânico, com sua mata atlântica indescritível, com seus lagos, pássaros, alem é claro do zoológico. Enfim, acho que este bairro tem, se não a maior, pelo menos uma das maiores áreas verdes da Cidade de São Paulo.

Para quem conhece, vale a pena lembrar-se de alguns personagens do Bairro: Padre Cosme (hoje na igreja Nossa Senhora Aparecida do Ipiranga), Sr. Antonio (bar do Bigode), do Barrigudo, Sr. Francisco da mercearia, Sr. José barbeiro, Maguinho, Vacarri, meu tio Antonio Lourenço Sapateiro (nas horas vaga um joguinho do bicho); e os já falecidos: Chico das galinhas, tio Manoel da Padaria Rabal, Sr. Antonio Japonês do empório, Sr. Miguel da Guardinha, Sr. Fuba - pai do tica e do tuco, Sr. Carlos Fracasso - paizão do Fabio, Sr. João Gonçalves, Zezinho do Bar, Sr. Osvaldo do Botânico, Dona Marlene - esposa do Sr. Antonio, e muitos outros que fizeram deste bairro, o melhor bairro de São Paulo.

Quem foi que morou ou mora na Água Funda e não se lembra da Padaria Vacarri e da Igreja Santo Afonso com suas festas maravilhosas, principalmente a festa de São Roque, organizada pela colônia Italiana do bairro e a festa de Nossa Senhora de Fatima, organizada pela colônia Portuguesa. No fim uma colônia queria fazer a sua festa melhor que a outra, era lindo!

Quem não se lembra que o Rei Roberto Carlos já cantou na quermesse da igreja Santo Afonso? Quem não se lembra da guardinha do Sr. Miguel, do campo do grêmio, da lagoa do botânico, do Valentim Gentil, da sub delegacia da pirozzi, do bar do bigode, do bar do Zezinho, dos bailinhos na sedinha da Rua Quatro... Quem não se lembra da Professora Nair, filha do Paulo Ferrero, da chácara do calabrês? Enfim, quem consegue esquecer a Água Funda?

Bom pessoal, como já disse, nasci na Água Funda em 1959 e para lá estou retornando, a partir de maio e no máximo em junho de 2011. Estarei mudando meu escritório de advocacia para a travessa da Rua Pavel Herenyi, 73. Fica em frente a C&C. Ficarei feliz e honrado em recebê-los.

Proponho a todos: vamos manter viva a história deste bairro tão amado e querido, que aliás recebeu nossos pais e familiares com tanto amor! Que tal um livro, quem sabe um site, ou qualquer outro meio...

Água Funda, querida e amada, és e sempre serás o melhor Bairro do Mundo.



E-mail: advocacialourenco@aasp.org.br
E-mail: advocacialourenco@aasp.org.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/10/2011 ANTES DE MAIS NADA, PEÇO DESCULPAS POR NÃO RESPONDER A TODOS RAPIDAMENTE.

AGRADEÇO A TODOS PELOS COMENTÁRIOS, FIQUEI MUITO EMOCIONADO.

FINALMENTE A CONSTRUÇÃO DO MEU ESCRITÓRIO ACABOU, JÁ ESTOU ADVOGANDO NA TRAVESSA PAVEL HERANYI Nº 73 - AGUA FUNDA - ESTA RUA FICA EM FRENTE A C&C E O MEU TELEFONE É 5058-6158, SERÁ UMA HONRA RECEBE-LOS.

VAMOS REVITALIZAR A AGUA FUNDA, VAMOS MELHORA-LA

UM ABRAÇO A TODOS.

LUIZ CARLOS LOURENÇO
ADVOGADO
Enviado por Luiz Carlos Lourenço - advocacialourenco@aasp.org.br
Publicado em 21/05/2011 Mudei para o bairro Jardim Botucatu em 1962, e recordo muito bem dos clarões emitidos pela Siderúrgica Aliperti. Caminhões e caminhões de carvão vegetal ficavam estacionados em volta da empresa, aguardando a vez de descarregar o produto. Enviado por JCOliveira - tangerynus@gmail.com
Publicado em 17/05/2011 Lourenço, trabalhei no Ambulatório Médico da Siderúrgica Aliperti em seus anos produtivos finais. Apesar de todo o empenho dos cabeças da empresa para diminuir o nível de poluição provocado pelas operações na fabricação do aço, a usina terminou colapsando, afinal no existe siderurgía verde! Pena que cerca de 6.000 siderúrgicos ficaram desempregados! Em minha mocidade trabalhei tbm na Botânica, portanto há um pouco de meu sangue no bairro. Abraço do Ignacio Enviado por joaquim ignacio de souza netto - ignacio.netto@bol.com.br
Publicado em 16/05/2011 Olha Luiz toda vez que eu lia as historias dos bairros desta cidade ficava pensando, porque ninquem escreve sobre a Aqua Funda pois e um bairro bonito e muito querido por mim pois me acolheu muito bem nos idos anos de 1966,quando recem casada cheguei, para la morar.E me nao de todos mas de alguns dos personagens do bairro.E Tambem gostaria de saber se voce nao e da familia doIZAIAS LOUREÇO tambem morou na Agua-Funda ate se casar ele,a irma, de nome Marcia, e o cunhado de nome Afonso trabalhavam na Sudepe gostaria de saber porque essas pessoas sao muito querida para mim. sem mais um abraço e bem vindo a Agua Funda e sucesso em seu escritorio.Rosalina Enviado por rosalina dalicio constante - roza@yahoo.com.br
Publicado em 16/05/2011 Puxa Luiz, também sou Luiz Carlos, nasci em 1958 e minha primeira infância foi na Agua Funda, pelo que meu pai conta na avenida Miguel Stefano, proximo da Padaria Vaccari. Por coincidencia, também sou advogado e aceito o convite para uma visita ao seu escritório. Um abraço !!!!! Enviado por Luiz Carlos Pereira - lcarlospereira@gmail.com
Publicado em 15/05/2011 Felizes recordações de um bairro que contribui e muito, com o equilíbrio ecológico da cidade. _Parabéns, Lourenço.
Modesto
Enviado por Modsto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »