Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Fui feliz e não sabia Autor(a): Neuza Batista de Azevedo - Conheça esse autor
História publicada em 16/05/2011
Só quem nasceu nesta cidade cheia de encantos, há 50 anos atrás sabe o que eu quero dizer sobre o prazer de ser criança pobre, mas cheia de vida, de sonhos e de liberdade.

Cada bairro possui suas histórias e sua gente, vindos de todos os cantos desse Brasil imenso e ajudando a construir essa metrópole. Meus pais mesmos vieram do sertão da Bahia.

Em São Paulo, meu pai ajudou a construir muitos prédios no centro. Eu me lembro, ainda menina, que ele me levava para o lá e eu me encantava com tudo que via: a Avenida São João, os prédios altos... Andar de bonde, para mim, era uma festa! Eu cultivava os sonhos de viver sempre nessa cidade, mas a realidade era outra o que nos obrigou a procurar outras estradas. Mas vivi toda a minha infância e minha adolescência em São Paulo.

A cidade crescia muito rapidamente e as oportunidades eram poucas. Minha sabia mãe como resguardar seus sete filhos da violência e da miséria; achou por bem procurar um lugar menor para nos proteger e assim o fez, até três anos atrás quando Deus a levou.Ela cumpriu, até o fim, o intuito de proteger e dar o melhor para todos nós.

Não me esqueço jamais de minha cidade, pois foi lá que eu nasci e tenho amigos até hoje. O bairro da penha, onde nasci, agora esta diferente...

Eu morava na Rua Guaiaúna, mas hoje passa por lá o metro e não há mais o encanto daqueles tempos, onde brincávamos até altas horas da noite, sem nos preocupar com nada.

Obrigada São Paulo, você fez parte da minha vida.


E-mail: neuza_cassia@hotmail.com
E-mail: neuza_cassia@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 24/09/2011 Eu passava todos os dias pela Rua Guaiauna (sempre me disseram que pertencia ao bairro da Penha) e quando passava em frente à Escola Industrial (não tenho certeza se era Prof. Aprígio Gonzaga) para ir ao meu colégio (na época estudava no C.E.V.A. (depois o nome mudou para Prof. Afonso Penna Jr.), tinha uns garotos que ficavam na entrada e, quando eu passava eles mexiam comigo. Eu ficava com tanta vergonha que passei a atravessar para a outra calçada, tão logo me aproximava da escola... Eles não falam nada de mais, pelo contrário, brincavam a respeito do meu nariz (me chamavam de Narizinho, Nariz Arrebitado, Nariz Pequenininho e por aí afora)! Como a nossa memória é fascinante! Há quanto tempo esses fatos não me ocorriam!
Abraço
Célia
Enviado por Regina Célia de Carvalho Simonato - rccsimonato@hotmail.com
Publicado em 07/06/2011 Adorei os comentarios. Me lembro bem da artulandia ou artulania onde hoje tem a estação de metro.a passagem de trem do guaiuna. Me lembro tbem dos Eucaliptos. Eles eram gigantes.e do lado da fabrica Caio tinha uma reserva de flores e plantas que minha avo costumava comprar lirios. Fora as enchentes que eram constantes.Ao lado da estação de trem haviam umas casas de madeiras. eram lindas!Brinquei muito nas pinguelas do rio..haaa como era bom.Aos sabados iamos no Clube Rio branco do Julinho. Enviado por Allan salles - allansalles@gmail.com
Publicado em 16/05/2011 Lembrança e agradecimento pelos felizes anos que vc, Neuza, viveu na Guaiauna, que , até hoje não sei se é Penha ou Tatuapé. Mas, o importante é que vc viveu anos venturosos, graças aos esforços e dedicação de seus pais. Parabéns a vc, Batista pela bem contada narrativa.
Modesto
Enviado por Modsto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 16/05/2011 Você também levou dentro do coração um pedacinho de São Paulo e, nesse lindo texto, mostra que não o esqueceu. Um abraço saudoso, Enviado por Trini Pantiga - trinesp@ig.com.br
Publicado em 15/05/2011 Neuza. Também nasci na Penha no ano de 1940. Desde os meus 15 anos de idade moro em Mogi das Cruzes. Receba um forte abraço do Adeimar. Enviado por Adeimar - adeimartoledo@hotmail.com
Publicado em 15/05/2011 NEUZA: INTERESSANTWE, EU ESTUDEI NO FINAL DESSA RUA A GUAIAUNA, ÉRA UMA ESCOLA INDUSTRIAL, E DAVA MUITA ENCHENTE, TINHA TAMBEM UMA PASSAGEM DE TREM COM PORTEIRA, NESSA RUA TINHA A FABRICA DA CAIO/ONIBUS MORAVA NA PENHA, ACABOU TUDO, FORAM TEMPOS BONS. RUBÃO Enviado por RUBENS ROSA - RROSA49@YAHOO.COM.BR
« Anterior 1 Próxima »