Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias O mais puro gris, poeiras... Autor(a): Lúcio Kume - Conheça esse autor
História publicada em 25/08/2011
Num átimo a tépida réstia de sol tombou seu brilho dissipando a minha distração.

Cravou certeira sua lâmina afiada, desvelando a ação do tempo no tijolo desgastado da velha parede murada.

Ilógico foi só o regresso das sombras ao longo de toda a rua deserta:
- “Será que ainda estou na Rua do Tramway?”

Sei apenas que quase nada retive desses lugares nas lembranças - hoje palpáveis fagulhas: capitaneadas por uma maria-fumaça à mercê, uma antiga composição que deslizou melancolia serpenteando por estas encostas da Parada Inglesa.

Sem fôlego, e sem circunlóquio...
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/08/2011 Perfeito, poetartista! Enviado por Cida Micossi - cida.micossi@gmail.com
Publicado em 28/08/2011 Vez ou outra nós nos deparamos com textos feito o seu- culto, erudito, talentoso. Enviado por Trini Pantiga - trinesp@ig.com.br
Publicado em 26/08/2011 A Parada Inglesa, Lúcio, é algo que jamais se esquece, nem com e nem sem circunlóquio Enviado por Marcos Loureiro - marcoslour_ti@yahoo.com.br
Publicado em 26/08/2011 No momento o morno feixo de luz de sol tombou seu brilho dissipando a minha distração.Traduzo a primeira frase deste texto intrigante. Quem acompanha o Lucio pelos seus textos e comentários já publicados:Vila Galvão-Jaçana-Tucuruvi-Vila Maria, poderá entendê-lo.Maria Fumaça deslizando pelas enconstas da Parada Inglesa...maravilha pura.Lucio sua poesia nos remete às pálpaveis fagulhas da Cantareira, tão presentes em nossa mente e corações como tb naquela região da Zona Norte. Abraços Marco Enviado por Marco Antonio (Macolino) - advancedtop@uol.com.br
Publicado em 25/08/2011 Algo diferente nas estantes oferecidas aos aficcionados leitores. Com a liberdade que te é oferecida, Lúcio, me aproprio da minha, pra dizer que sua poesia, desprovida de circunlóquio, me dá liberdade de interpreta-la a meu bel-prazer. Gostei da sua arrojada iniciativa. Parabéns, Kume.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 25/08/2011 Título... conteúdo... é tudo pura poesia, para mim! Parabéns, poeta! Enviado por Lia Beatriz Ferrero Salles Silva - lia.ferrero@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »