Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Santa Rita Autor(a): Alvaro Glerean - Conheça esse autor
História publicada em 29/11/2011
Santa Rita de Cássia, a santa das causas impossíveis, nasceu na Úmbria, Itália, em maio de 1381. Tinha como única fonte de conhecimentos o Crucifixo. Sua vida foi muito difícil, basta olhar para o que passou com seu marido, seus filhos e no próprio convento. Sempre encarou suas inúmeras dificuldades e revezes com serenidade e com esperança no futuro.

Meus pais eram devotos dela, principalmente minha mãe. Tinham sobre a cabeceira da cama uma sua imagem, colorida, com traços de asas de borboleta, em uma moldura oval.

Há muitos anos ganhei de um amigo colecionador uma imagem da santa com cerca de quarenta centímetros de altura. Outro amigo me deu um nicho para colocá-la. Suas mãos frente ao corpo estavam vazias e foram ocupadas por um crucifixo presenteado por minha mãe, que não é necessário dizer o quanto ficou exultante.

As famílias de meus pais eram numerosas, de modo que tive mais de vinte tios e tias. Com o tempo, todos viajaram fora do combinado (como diz Rolando Boldrin)...

Deus nos concedeu algo maravilhoso que se chama memória. E è por intermédio dela que constato que todos eles ainda vivem. Posso, por meio dela, ver meu tio Bidoca em sua oficina fazendo milagres com o torno e suas ferramentas; posso ver e conversar com meu tio Armando sobre sua viagem à Itália; posso, na casa de minha tia Mariquinha, ver, ouvir e tocar um piano mecânico que emite som graças a um rolo perfurado. Posso ouvir da casa de um seu vizinho um concerto para piano, de algo que depois descobri que se chamava vitrola; posso degustar pratos incomuns na casa de minha tia Teresa; posso voltar a ir aos domingos à casa de meus avós no Brás, na Rua Alegria e ver meu avô fazer carteiras para notas. Posso, enfim, no momento em que eu desejar, estar novamente com eles. Posso saber que a morte não existe!

Com o passar das várias décadas de minha existência, compreendi que só é possível obter o que se deseja com o devido merecimento, principalmente se o que se deseja é útil e não causará problemas futuros.

Santa Rita é (como dizem os fiéis) uma santa poderosa, mas esquecem que é também justa e sábia. Sua vida a ensinou. Hoje só, com minhas duas filhas, depois que minha mulher também foi juntar-se aos parentes, no meu quarto a velha imagem está na cabeceira da cama. Confesso que por mais de uma vez, orei e pedi algo a Ela, mas sei também que o mais importante é que Ela vela dia e noite por mim.


E-mail: alvarogle@terra.com.br E-mail: alvarogle@terra.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/11/2011 ALVARO GOSTEI DO TEU JEITO MODESTO DE ENALTECER A AS PASSOAS DA SUA FAMÍLIA.CERTEZA ABSOLUTA QUE ELES NÃO PASSARAM EM BRANCO NESTA VIDA DESDE QUE DEIXOU TANTAS LEMBRANÇAS E SAUDADES NESTE TEU CORAÇÃOZINHO. ESTOU MARAVILHADA COM A SUA FÉ, QUERO QUE SAIBA QUE TENHO UMA FILHA CHAMADA RITA DE CASSIA JUSTAMENTE POR CAUSA DA MINHA DEVOÇÃO A SANTA RITA. ABRAÇOS Enviado por tereza pereira xavier - terezapx@gmail.com
Publicado em 28/11/2011 Em Sampa, uma igreja que atrai muitas pessoas dominicalmente é a de Santa Rita de Cássia, que fica na Praça Sta Rita de Cássia, próximo à Praça da Arvore. Nos dias 22 de maio então, aniversário de Santa Rita, aquilo se transforma num ponto turistico tamanho são os frequentadores para homenagear a santa querida. Se não me engano, o bairro é Mirandópolis. Enviado por chico lemmi - francisco.lemmifilho@yahoo.com
Publicado em 28/11/2011 Devoção e fé, muito bonita esta sua crônica, Álvaro, parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »