Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Infância em São Paulo - sem cerol Autor(a): Vilton Giglio - Conheça esse autor
História publicada em 30/05/2012

Fazendo um "remember" de uma infância do passado e a atual dos "anjinhos" que nascem a toda hora em São Paulo, fico pensando o que terão pela frente na adolescência, visto que no passado brincávamos com e muito com bola pelas ruas, "campinhos", nova-cela, pião, queimada, pega-pega, estátua, esconde-esconde... A que "eu" mais gostava também era de médico e mamãe, casinha; troca-troca de gibis como do Zorro, Pato-Donald, Tarzan, Mickey, entre outros tantos; bolinha de gude pelas ruas - lógico eu preferíamos as que tinham muita terra, assim fazíamos os buracos. Hoje duvido que algum jovem sabe o que é isso.


Na infância era muito criativo e gostoso fazer pipa, quadrado, papagaio ou capucheta; essa era feita de jornal na falta de papel de seda, muita linha dez, bambu - que pegávamos em qualquer lugar ou, em últimos casos já nos últimos tempos, vareta japonesa que na realidade deve ser algum bambu japonês - nome dado por algum"Gerson" do Brasil. Pois imagine: trazer vareta do Japão para fazer pipa? Fazíamos cola com farinha de trigo e água, o que pesava e muito a pipa. Mas só o tempo que levávamos para fazer era gostoso, todos sentados no chão e conversando, sem contar o colorido das folhas de seda.

Não tínhamos muitas opções de lazer. A maior delicia era brincar na rua, íamos muito também (nem todos) às bibliotecas para realizar trabalhos escolares. Atualmente a cola com farinha de trigo não existe mais, temos a "goma arabica"; não temos mais as carretilhas para enrolar a linha feita de madeira e sim uma máquina feita industrialmente porque conheço quem faz. A infância está sendo perdida com o cerol feito de vidro moído que mata os motoqueiros, machucam as crianças, tudo isso em São Paulo...

Ótimos tempos passaram da infância, o futuro é triste aos futuros "anjinhos", que Deus os ilumine.


E-mail: viltongiglio25@gmail.com

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 18/06/2012 Vilton,gostei do seu remember da infancia. Mas tb concordo com o comentário do Modesto....meu tempo, seu tempo, nosso tempo, outros tempos...Hj as crs nascem sabendo já lidar com a tecnologia avançada...infelizmente nao terao oportunidade de desfrutar brincadeiras ao ar livre que curtimos , mas , todavia, porém, rsrs..., tem a oportunidade de lidar com a internet desde cedo, que se bem utilizada é um bem social...Abraços. Enviado por jussara - jussaramunhoz@hotmail.com
Publicado em 30/05/2012 As mudança relativas as crianças de ontem com as de hoje, obedecem uma ordem relacinada ao progresso científico, nunca os comportamentos poderiam ser iguais. Devemos aceitar e nos adaptar as diretrizes impostas pela dinâmica do desenvolvimento. É isso aí, Vilton, as informações se espalham feito folhas secas ao vento. Parabéns pelo lamento, vamos em frente que atraz vem gente.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 30/05/2012 Vilton.É uma pena que as coisas mudaram drasticamente. Uma pergunta: O que você sugere que deveria ser feito com São Paulo? Abraços. Anthony Enviado por Anthony Mennitto - mennitto@comcast.net
Publicado em 30/05/2012 Vilton, quantos momentos felizes você e os seus amigos passaram. Ou melhor, a juventude dos anos passados viveram situações extraordinárias. Fico feliz por isso, mas que acabou... realmente acabou. Gostei muito do seu texto, como sempre, especial. Um grande abraço. Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 29/05/2012 Vilton, concordo com vc de maneira total, outros tempos, outros costumes; crianças com problemas de articulação nos punhos e dedos por causa de video-games. Mas, gostei mesmo foi da vareta japonesa! Na feira aqui do Previdência tem um "vigário embandeirado" que vende legumes "japoneses", mandioca japonesa, xuxu japonês, abobrinha japonesa... Pode? O sujeito é um cara de pau!
Abraço do Ignacio
Enviado por joaquim ignacio de souza netto - joaquim.ignacio@bol.com.br
Publicado em 29/05/2012 Vilton, senti-me na sua história, foi isso mesmo, depois da TV e jogos eletronicos , tudo mudou, valeu,Estan Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 29/05/2012 vilton:
Nunca acreditei em anjos; muito menos em anjinhos.
As vezes os conceitos "meia boca", demonstram que dar às divindades o poder de educar, pode complicar o caráter de inocentes....
Abraço
Peron
Enviado por Luiz - luizcperon@bol.com.br
« Anterior 1 Próxima »