Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas São João Clímaco, meu bairro querido Autor(a): Laise Pompei - Conheça esse autor
História publicada em 25/11/2012
Meu nome é Laise e sou filha do Pompeo. Nasci em 1949, em São João Clímaco, um pequeno lugarejo entre o Sacomã e São Caetano do Sul. A parteira veio, untou tudo com azeite e eu nasci em um domingo lindo, bem na hora do almoço. Talvez, por isso, eu seja um bom garfo. Meu pai dizia que eu era linda, loirinha e mimada. Pelas minhas lembranças acrescento também malcriada.

Meu pai, Luiz Pompei, era uma pessoa muito querida e ainda lembrada por muita, por muita gente. Ele era barbeiro, pescador, muito extrovertido e uma espécie de bruxo bom. Fazia umas poções mágicas para curar verrugas, nascer cabelo, curar micoses e coisas desse tipo. Meu pai era leiloeiro da paróquia, quando tinha quermesse; era sócio da SPM, janista até morrer e meu ídolo.

Minha casa era na Rua São João Clímaco, onde hoje é o Carlos C. uma grande loja de roupas. Só tinha asfalto no meio da estradinha, as calçadas eram de terra, a maioria das casas tinham jardim na frente, inclusive a minha. A água era de poço e de má qualidade. Minha mãe ia buscar água na prefeitura, na Estrada das Lagrimas, onde ficavam os burros e as carroças que recolhiam o lixo do bairro.

Tinha o Seu Antonio, português da quitanda, Seu Joaquim da farmácia, Seu Tobias do correio e o Seu Guerra, um barbeiro concorrente do meu pai, porém amigo. Tinha o bar do seu Teixera, cuja filha chamava Eugenia e era minha amiguinha. Tinha o bazar do seu Altino e um bando de crianças, as quais eram companheiras de ser feliz. Tenho saudades boas dos meus amiguinhos, da Rosinha, da Claudete, do Toninho, Osmar, Edson, Paulinho, Fatima, Francisca e outros dos quais já não lembro mais o nome.

Tinha também o cine Seckler, onde assisti Marcelino Pão e Vinho e conheci os artistas da Caravana do Peru que Fala, o Silvio Santos quando era pobre. Estudei no Manuela do diretor Servulo e no Cepao de doces recordações. Fui aluna e querida da Dona Benedita e do professor Arcanjo.

Brincávamos muito de pular corda, de esconde-esconde, de pegador, todas essas coisas que pertencem ao passado. A maioria dos amigos a vida espalhou. Alguns ainda estão por aqui. Todos são avós, como eu. Todos com um olhar perdido lá no passado, onde os vizinhos colocavam as cadeiras na calçada e jogavam conversa fora.

Lógico que veio o progresso e o meu bairro também cresceu. Não é mais um lugarzinho perdido. É um bairro enorme, com um comércio sempre crescente. Abriga a favela de Heliópolis, uma comunidade que se fundou nos terrenos onde eram os campos de várzea, onde o futebol acontecia pelo puro prazer das disputas. Os saudosistas me perdoem, mas pelo jeito vocês estão quase chorando, então depois eu conto mais. Até breve...


E-mail: laisepompei@Ymail.com E-mail: laisepompei@ymail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 02/04/2013 LAISE, VI SEU COMENTARIO E ME EMOCINEI POIS CONHECI MUITO O SEU PAI O SR POMPEU.
NA ÉPOCA A MINHA MAE ME LEVAVA PÁRA CORTAR O CABELO E FALAVA PARA O SEU PAI: -CORTA AMERICANO BEM CURTO.
EU MORAVA NA RUA EDUARDO PANADEZ TRAVESSA DA ESTRADA DAS LAGRIMAS.
MINHA MAE AINDA ESTA VIVA E MORA NO MESMO LUGAR , ESTA COM 89 ANOS, EU ESTOU COM 69 ANOS.
CONHECI VOCE, LEMBRO DO SR GUERRA, ESTUDEI NO LACERDA VERGUEIRO, CONHEÇO OS GUILHOTES.
CASEI EM 66 MINHA ESPOSA TRABALHAVA NO PARQUINHO EM FRENTE A IGREJA.
Enviado por osvado gil - ruthosvaldo@hotmail.com
Publicado em 02/04/2013 continuando: em 70 fui p r.ramos SBC. HJ ESTOU MORANDO EM PRAIA GRADE. DE 20 EM 20 DIAS VOA A S.CLIMACO PARA VER A MINHA MAE. SEU MARIDO ERA O ALFAIATE DA PADARIA 700? EU TINHA MOTO NA ÉPOCA E ELE TB TINHA. ABRAÇO Enviado por OSVALDO GIL - ruthosvaldo@hotmail.com
Publicado em 30/01/2013 Lembro-me da barbearia do Sr.Pompeo. Era um ponto de encontro de pescadores. Nos anos 50 e 60, o seu pai promovia excursões,(na carroceria de caminhão), rumo a represa Billings. Enviado por Ruy Asano - ruyasano@hotmail.com
Publicado em 28/12/2012 MORAVA NA RUA PROTOCOLO , FIQUEI FELIZ, DE LER ESTE RELATO LEMBRO-ME DO GRUPÃO(MANUELA L.VERGUEIRO) DO SR.SERVULO (TOMAVA TODAS),DO CEPAO ONDE TAMBÉM ESTUDEI TENHO HJ 52 ANOS E MORO NO PARANÁ (CASCAVEL)MAS CARREGO EM MEU CORAÇÃO OS MOMENTOS FELIZES DE MINHA INFÂNCIA NO BAIRRO SAI DAI EM 85 MUITOS AMIGOS FICARAM NA MEMORIA,MAS SEMPRE LEMBRO DOS MEUS PADRINHOS (CHICO RELOJOEIRO)E DO SR.EDUARDO ELETRICISTA,DO CINEMA,DOS VIZINHOS QUE AO FINAL DO DIA SENTAVAM NA FRENTE DE CASA PARA CONVERSAR, OBRIGADO POR AJUDAR A MANTER VIVA AS LEMBRANÇAS DE UM PASSADO FELIZ Enviado por LUÍS CARLOS NEGRI - LC.NEGRI@HOTMAIL.COM
Publicado em 26/11/2012 Laise, conheço bem o bairro de São João Climaco, tenho até amigos que são proprietários de uma loja de materiais de construção (O Sérgio e o Toninho Guilhotti), não posso deixar de lembrar também do falecido Padre Beno (um verdadeiro sacerdote que trabalhava 18 horas por dia), como juiz de paz oficializei muitos casamentos na paróquia do Pe. Beno, parabéns pelo texto, Leonello Tesser.- Enviado por leonello tesser - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 26/11/2012 Laise, conheci o seu bairro a mais ou menos 53 anos atrás. Tenho parentes, que há muito não vejo, que moravam e acredito que ainda morem por lá. Fui a algumas festas na casa dos parentes. Uma de minhas primas era casada com parente próximo do Zé do Caixão e algumas vezes eu o encontrei, ostentando sua famosa capa preta. Enviado por Ivette Gomes Moreira - ivetteg.moreira@gmail.com
Publicado em 25/11/2012 MORAVA EU NA VILA CARIOCA, E AOS DOMINGOS ERA DIA DE ASSISTIR PELADAS DE FUTEBOL NOS CAMPOS PRÓXIMO DA ESTRADA DAS LÁGRIMAS. VISITAR A IGREJA SANTA EDWIRGES, AS VEZES ANDANDO PELA MATA QUE CIRCUNDAVA O BAIRRO A GENTE CHEGA ATÉ O "TIRO DE GUERRA" ATRÁS DE CARTUCHOS DE ARMAS. MEU AMIGO APRIGIO, MOTORISTA DA CERÂMICA SACOMÃ MORAVA PERTINHO DO CINE SECLER. MINHA TIA ANA TANGERINO/CLAUDIO LAZARINE "CLAUDIO VIOLA" MORAVAM NA RUA ALENCAR DE ARARIPE, PERTO DE UMA INDUSTRIA DE FERRAMENTAS, DOCE DE MOCOTÓ, ENFIM CONHECI ESSA REGIÃO TODA. Enviado por JCOliveira - tangerynus@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »