Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Perto da Paulista, na Brigadeiro Autor(a): Luizinho Trocate - Conheça esse autor
História publicada em 02/12/2012
Há muitos loucos por ai.

Uns leem Pound ("Bebo a vida como os homens menores bebem vinho"), outros repetem (“Não canteis. Não faleis!”). E assim, dando vida à única ideia que jamais tive, comprei um celular de R$1,99 e sai pela rua feliz, falando alto e sozinho!

Há os que pregam e há os que ouvem os que pregam. E nesse emaranhado aparentemente insolúvel, há os que tentam trazer a realidade á tona e esses, claro, são os mais loucos (além de serem os mais chatos também).

Acho que delineei isso, essa linha de pensar, ao deparar – em uma esquina de São Paulo (que não é a famigerada) - com uma família de moradores de rua (morando na rua, obstruindo a calçada; não desarticulando a leveza da praça). Preparavam-se para dormir enquanto o povo passava.

Uma dentre eles, com cara de matriarca, organizava o caos. Cobria um, repreendia outro, abastecia de café um copo, bebia um trago e, ternura das ternuras, preparava-se para amamentar um pequenino que, pequenino, só olhava - à espreita, com seus olhinhos negros esperava.

Foi ali, perto da Paulista, na Brigadeiro, mas parecia o Iraque pós Bush, ou Varsóvia ocupada, ou o inferno, sei lá.


E-mail: luizinhotrocate@hotmail.com
E-mail: luizinhotrocate@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 03/12/2012 Eles também são gente. Mas acredito que até eu muitas vezes passei por eles sem notar, como se não existissem. Abraços ... Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »