Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Doce sonho - Centro de São Paulo Autor(a): Vilton Giglio - Conheça esse autor
História publicada em 05/02/2013

Há certos assuntos ou palavras em nossas vidas em que é muito gostoso escrever, nos leva a pensamentos, lembrar, sonhos, com horas de devaneios, outros nem tanto que às vezes nem queremos ouvir dizer. Sonho é uma palavra que só Freud explica, até tenho minhas dúvidas por se tratar de cérebro, ultimamente descobriu-se que até os bebês sonham, é o famoso REM, imaginem saírem de uma barriga depois de nove meses, ou antes, e sabe-se lá como foi gerado nos dias atuais, onde tem aquelas "mães" que fumam e bebem entre outras "cositas", eles ficam sonhando por nove meses, isso na "minha cabeça" e depois quando saem veem que não é nada do que sonharam, vira um pesadelo.

Agora esse sonho é uma paixão, desde a década 1940 e 1950, aliás, sempre gostei de doces, por isso sempre escrevo sobre essa maravilha que é um pecado capital, é originário da França, de uma cidade chamada Saint-Tropez, não podia ser de outro lugar, na França tem o nome de Brioche Tropézime, de criação de um ex-paraquedista polonês que participou da libertação da Riviera Francesa ao final da Segunda Guerra.

Adorava a região, até "eu" adorei, só que não abri nada lá, ele abriu uma padaria onde vendia baguete e croissants, no meio dos dois vendia um bolo de massa leve, recheado com muito creme, pois seguia a receita de sua mãe... Em 1952, nas gravações de um filme que poucos se lembram, "E Deus criou a Mulher", a atriz Brigit Bardot se apaixonou pelo doce e o popularizou.

Leitores, o assunto é longo, há uns meses andando pelo Centro descobri uma senhora baiana que vende sonhos caseiros, e faz isso há muito tempo é uma delicia, Pça. da Liberdade, dentro de um bazar, onde também vende bilhetes da loteria federal, etc. e tal (talvez até seja proibido), mas é seu ganha pão, tem também um sonho de ótima qualidade na butique de pães Marie-Madeleine, Vila Nova Conceição.

Quem comeu o sonho em Saint-Tropez e quer matar a saudades é só ir lá, tem de dois tamanhos e preços. Sonhos são sempre uma delícia, comer com moderação.


E-mail: viltongiglio25@gmail.com

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 06/02/2013 Eis uma justa homenagem a um doce que, bem feito, só traz prazeres e sonhos de verdade. Se o creme não for bem feito, ai ele vira pesadelo. Relato bem explícito, Giglio, parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 05/02/2013 Vilton - Seu gosto é muito apurado. Adoro Brioche, croissants e sonhio então nem se fala. Encontro todos eles e são deliciosos no Pão de Açucar de Marilia. Alias, todos aqui em casa adoram. Grande abraço ... Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 05/02/2013 Praça da Liberdade Vilton - Feiradaliberdade, achei este o seu melhor texto. Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 05/02/2013 Vilton, concordo com você: doces representam um pedaço do paraíso. Sonho com café, com suco, refrigerante... uma tentação. Gostei do relato. Um abraço. Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 05/02/2013 Vilton, vamos combinar sua visita aqui na feira do Braz. Temos sonhos e aqueles doces da dna Izolina, minha tia. Venha e será bem-vindo. Enviado por Paulo Nakamura - paunak@uol.com
Publicado em 05/02/2013 Quem não sonhou, perdeu o sono por não sonhar, de preferência com açúcar, verdadeiro sonho materializado!!! Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 05/02/2013 Vilton, não sou muito fã de sonhos doce, mas adoro sonhar. Sonho acordada, dormindo e até quando aqui escrevo. Já tive cada sonho! Alguns de chorar, outros de medo e outros de dar boas risadas.Um abraço. Enviado por margarida peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 04/02/2013 caro Vilton, quando eu era garoto um dos meus primeiros empregos foi numa banca de doces na feira..(naquele tempo não era proibido dos "di menor" trabalhar)...e justamente eu tomava conta do cesto de sonhos...bom demais,abraço, Beira Enviado por Jose Camargo Beira - josebeira@hotmail.com
Publicado em 04/02/2013 Amo sonhos e sou frequentadora da Liberdade. Vou seguir sua sugestão e procurar a senhora baiana e o bazar em questão. Obrigada pela sugestão. Enviado por Trini Pantiga - trinesp@ig.com.br
Publicado em 04/02/2013 Vilton obrigada pela dica, adoro sonhos!!!! Enviado por Andréia Souza - deiaasouza82@uol.com.br
« Anterior 1 Próxima »