Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias A inauguração Autor(a): Ana Regina Carnevalli Parra - Conheça esse autor
História publicada em 07/03/2013
No início dos anos 80, no Bororé, zona rural da cidade de São Paulo, a família Piza, cedeu um imóvel para as instalações de um posto de saúde.

Lugar muito aprazível, ao redor da Represa do Guarapiranga. Ainda hoje para chegar lá a travessia é realizada por balsa.

Era uma casa ideal para veraneio, com árvores frutíferas no quintal e piscina, mas para instalação de uma unidade de saúde precisava de adaptação.

Depois de estudos e acertos uma correria para a reforma do imóvel. Esse processo mobilizou todo o povoado. A inauguração foi um acontecimento ímpar na região. A rua principal e única, de puro barro, foi ajeitada com pedrinhas.

Acertada a recepção dos convidados e autoridades, saudações com bandeirolas e o pessoal, em pleno sábado, com roupa de domingo com muito colorido.

Banda de música completa e discursos intermináveis, com horário bem avançado para almoço.
A fome já batia bem forte. Soube da promessa de um churrasco, que nem sei se contemplaria aquela multidão.

Retornar logo para casa, daquela distância, com cansaço dos preparativos, naquele momento era o que eu mais queria.


E-mail: arcparra@ig.com.br E-mail: arcparra@ig.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 11/03/2013 Regina,

Você como sempre, colaboradora e amiga de São Paulo. Abraços Johannes
Enviado por Johannes Luyten - jwluyten@yahoo.com
Publicado em 09/03/2013 Ana, antes de ir embora, comeu um churrasquinho? Pelo que você deve ter percebido, todos aqui no site ficamos curiosos! Abraço Célia Enviado por Regina Célia de Carvalho Simonato - rccsimonato@hotmail.com
Publicado em 07/03/2013 Afinal saiu esse churrasco ou não Ana ? Não deu para apanhar nenhuma fruta por lá - risos. Forte abraço ... Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 07/03/2013 Hummmm....trabalhei na ilha do Bororé e acho que a tal casa não é a mesma pois a atual onde funciona o tal posto de saúde não tem qualquer vestígio de piscina, mas o que me chamou a atenção foi a diferença entre os 2 lados da travessia, na ilha, como tem muitos caseiros as pessoas são calmas e educadas, cansei de ganhar plantas e frutas no breve tempo que passei por lá, afinal quando afaziam manutençao da balsa no meio da represa, ninguém atravessava, agora do outro lado, é melhor nem falar... Enviado por newton cismotto - newton_cismotto@hotmail.com
Publicado em 07/03/2013 Só lembro que as duas e meia da tarde, como dizem, "piquei a mula", quem sabe alguém pode contar se houve o tal churrasco, mas pela demora,
acho que foi mesmo estratégia para dispersão.
Enviado por ana regina carnevalli parra - arcparra@ig.com.br
Publicado em 06/03/2013 Ana, e o churrasco, rolou ou não? Um beijo. Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 06/03/2013 E, pelo jeito, o churrasco não saiu, né Ana? Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslour_ti@yahoo.com.br
Publicado em 06/03/2013 Ana,eu desconhecia este fato, mais uma que aprendi com seu texto. Um abraço. Enviado por margarida peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »