Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Sears Roebuck Autor(a): Lygia Bradnick - Conheça esse autor
História publicada em 19/03/2007

O Natal começava pra gente no dia 1 de Dezembro, pois este era o dia em que íamos à Sears, no início da Av. Paulista, ali onde hoje se encontra o Shopping Paulista. Meu pai chegava em casa mais cedo, nós já estávamos prontos, eu de vestido novo, meu irmãozinho todo arrumadinho e de cabelo penteado. Íamos à pé, subindo a ladeira do Paraíso, passando pela mal-cheirosa cervejaria Brahama, dando uma paradinha na palelaria Caratin, onde eu comprava os meus humildes cartõezinhos de Natal, os quais me pareciam tão lindos.

Dali, passando pela Praça do Índio (uma estátua de um índio com um arpão tentando pegar um peixe dentro do laguinho), chegávamos à Sears, toda enfeitada para o Natal. Subíamos para o quarto andar, onde os brinquedos se encontravam, e ali passávamos momentos mágicos, sonhando com o que Papai Noel poderia nos trazer.

O mais estranho é que ele nunca trazia nada daquilo, só uns carrinhos para o meu irmão e uma bonequinha para mim. Mas assim mesmo sonhávamos, corríamos em volta de tudo, até que meu pai cansado e com fome nos chamava para ir comer no barzinho ao lado. Sempre pedíamos salsichas no espeto. Que delícia que eram aquelas salsichas!

Depois das salsichas com guaraná, tomávamos um sorvete bem grande ou comprávamos um pacote de pipoca na porta da Sears. Vínhamos embora para casa comendo a pipoca e eu toda feliz com meus cartões de Natal. Meu irmão ganhara um pacotinho de cavalinhos plásticos ou um soldadinho.

A lua sempre aparecia, branca e muito redonda, a gente até via estrelas nos céus de São Paulo. Estávamos cansados, porém muito felizes. Vínhamos pulando e sentindo que tudo era Natal.

Em casa ainda podíamos abrir o panetone e pegar um pedacinho antes de ir dormir. O Natal havia começado mesmo!

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 10/07/2012 Eu sou Maria, sou paranaense de Londrina, mas vim de sitio pequeno, bem interior caipira mesmo. Cheguei aqui tinha vergonha das pessoas era bicho do mato, mas aos poucos fui aprendendo, tinha que mudar de vida.Comecei fazendo o curso do Mobral na época era o primário para adulto, entrei ..sei lá. Era tudo muito estranho. Mas dei sorte, comecei trabalhar na Sears av Antártica 380, era tudo muito chique, nunca nada iigual fui feliz tinha 18 anos, hoje é bem mais dificil ser feliz, valeu aprendi Enviado por maria guimarães - maria_guimaraes02@hotmail.com
Publicado em 04/07/2012 Nossa! Que saudades! Adorei encontrar estes depoimentos, pois voltei no tempo.....Trabalhei na Sears Água Branca de 1979 a 1981. Fui secretária do saudoso Sr. Aruanã no depto de compras. Era uma loja e tanto. Os vendedores entendiam dos produtos que vendiam e os fregueses eram tratados muito bem por todos. Ainda hoje quando atendo o telefone me lembro do treinamento que tinhamos logo no início da contratação; nunca deixar o cliente esperando na linha e sempre retornar as ligações....saudades.... Enviado por Silvia - smfdl@ig.com.br
Publicado em 26/06/2012 Trabalhei na SEARS de 1972 até 1991.Fui funcionário da loja de Santos onde trabalhei como vendedor das divisões 3,57,61e 1.Fui transferido p/Brasilia em 1977 p/ser DH da div.57,58.61.Passei posteriormente pela divs.24,37,1,2.Até que vim p/São Paulo na inalguração do shopping Morumbi.Lá fui DH das divs.1,2,24,37,até ser promovido a ger.venda,fui ger.operações no Center Norte onde fiquei p/mais 1 ano e voltei p/o morumbi p/trabalha na loja Sandiz cujo a Sears havia compra. Enviado por Carlos Roberto do Vale - crvscrep@ig.com.br
Publicado em 16/06/2012 Essa noite, mais uma vez a Sears entrou em meus sonhos. Justificava eu o motivo da minha ida aos EUA na embaixada americana - visto (conhecer o prédio da Sears). Trabalhei na Sears de Brasília entre 1979 a 1982. Apesar de ter sido vendedora na sessão de moda feminina, sinto-me como se tivesse sido uma criança vivendo em um reino encantado (Sears). A Sears exerceu em mim, um verdadeiro fascínio, tanto que sonho usando aquele uniforme azul escuro com a blusa interna azul claro, e às vezes até com aquele uniforme anterior de cor marrom. Nunca parei de sonhar com a Sears até hoje. Comento sempre com meu marido. Sinto mesmo uma vontade imensa de viajar aos EUA, só para conhecer o prédio da Sears e voltar. Abraço a todos que também, assim como eu, são fascinados pela Sears. Enviado por Iracema Rocha - iraroocha@gmail.com
Publicado em 15/06/2012 Trabalhei na Sears Conjunto Nacional Brasília 1990/1991 (ficamos por último até fechar) e fiquei muito feliz de ler alguns comentários e compartilhar meu sentimento de saudade e nostalgia e perceber as coincidências dos comentários. Foi maravilhoso trabalhar na Sears. O clima era de amizade. Me lembro da turma do camping e esportes , do Claudio Caetano, da Cida, do Arlindo, do Sr Luis Carlos Bernardino, do Braulio, Rosangela, Luciano, Raquel, Jocélio, Milton, Patrícia do caixa (linda) da Claudia Telefonista... Que saudade!!! Enviado por Francisco "novinho" - smafonso@terra.com.br
Publicado em 23/05/2012 Como o nosso cerebro registra certas coisas que nos ajuda a relacionar com lugares, pessoas e etc. Toda vez que cinto o cheiro de amendoin assado no azeite me arremete a SEARS que logo em sua entrada tinha uma ilha que vendia. Tempo bom!!!! Enviado por ulisses santoro - usantoro@gmail.com
Publicado em 27/04/2012 Foi fantastico descobrir esse site e reviver as emoções que muitos dos meus contemporaneos descreveram.Trabalhei durante 18 anos na Sears, e posso dizer que foi a minha escola e minha faculdade.Aproveito a oportunidade para agradecer a todos com os quais convivi, e quanto contribuiram para minha evolução.Comecei com mr.Kleibon e sai com Sr.Pullford.À aqueles que viveram essa época, disponho meu e-mail e aguardo as vossas comunicações.Vamos contar muitas histórias e reviver esse passado. Enviado por nilton arenque - niltonarenque@lojasokys.com.br
Publicado em 26/04/2012 não consigui segurar minhas lagrimas de tanta saudades,de tudo da minha juventude de meus amigos da seção de moda jovem onde trabaljei de 82a 87,da minha DH a Sonia a Zeza ,e a yOLANDA? que figura gente.... Só quem viveu sabe ,eu entrei uma menina ,e sai mulher,aprendi como se trata as pessoas,os cursos e treinamentos serviram pra vida toda.Á todos os que trabalharam na agua branca desejo muitas alegrias como as que tive ai.. Enviado por cassia cristina alves lima - cassia_cristina45@hotmail.com
Publicado em 25/04/2012 Adorava as rosquinhas que eram vendidas no piso inferior, próximo ao estacionamento. Não iamos embora sem comer. Também me recordo que sempre saia com um disco de história, aqueles coloridos e pequenos, o que mais gostava era "Vinte Mil Leguas Submarinas" e do "Falcon". Abraços a todos que trabalharam na Sears e que a mais de 30 anos me proporcionam boas lembranças. Enviado por Guilherme - guilherme@hotmail.com
Publicado em 04/04/2012 Sempre que posso passo por aqui p/ ler depoimentos desta empresa que me faz recordar "velhos e bons tempos", trabalhei na Sears Campinas de 1964 a 1970 e gostaria de me comunicar com as pessoas daquela epoca, entrem em conato pelo jurandir@gallinari.com.br Enviado por Jurandir Gallinari - jurandir@gallinari.com.br