Leia as Histórias

Categoria - Personagens O guarda Luizinho Autor(a): Mario Lopomo - Conheça esse autor
História publicada em 27/03/2007

Mais de 700 textos no site e não vi uma lembrança sobre o guarda Luizinho. Aquele excêntrico guardião dos pedestres que atravessavam a rua Conselheiro Crispiniano em frente ao Mappin nos anos 1970. Aos poucos ele foi chamando a atenção de todos pela sua simpatia, maneira alegre e amigo de todos os passantes daquele pedaço da cidade. Apesar de todas suas brincadeiras com o povo, pegando muitos pelo braço, fazendo-os retornar atrás para depois atravessar direito, ou então fazer uma pessoa atravessar por dentro de um Fusca, como a dizer: já que está com pressa passa pelo meio do carro. Mesmo assim ele impunha respeito e fazia todos verem a importância em não atravessar com pressa. Pois a pressa pode apressar a morte por atropelamento. Chamou a atenção da imprensa e logo foi manchete dos tele jornais. Deu muitas entrevistas. Seus superiores também começaram a perceber que um simples soldado estava se destacando mais do que oficiais da corporação. Já estava até dando autógrafos. O ego de muita gente foi abalroado. Quando todos imaginavam que o guarda Luizinho seria outorgado com um troféu ou medalha de hora ao mérito, eis que ele é retirado do seu local de trabalho, onde estava por alguns anos. O cruzamento do Mappin ficou ao Deus dará. Sua falta começou a ser sentida. Os comentários eram os mais variados. O povo falou alto. Os pedidos foram feitos através da imprensa, e seus superiores se sentiram atingidos. Não demorou muito o guarda Luizinho voltou a seu local de trabalho preferido. Mas não era mais o mesmo homem alegre e brincalhão. A magoa machuca muito as pessoas. Chegou a ser candidato a deputado ou vereador, não conseguindo êxito. Hoje fica a lembrança e a saudade dele.
Por onde será que anda o guarda Luizinho?

e-mail do autor: mariolopomo@uol.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 11/04/2007 Eu presenciei o guarda Luizinho, na Xavier de Toledo. Exibia um chaveiro com uma "caveira" aos pedestres mais afoitos em atravessar a avenida e o epísódio de atravessar por dentro dos carros, este era para um outro lado, motoristas que paravam ao sinal, dentro da faixa de pedestres.
Saudades ...
Enviado por José Carlos - sorvete@hotmail.com
Publicado em 28/03/2007 Caro Lopomo, sem criar polêmica (e já criando, como diz o Jô Soares...) para quem está de frente ao antigo Mappin e claro, de costas ao Teatro Municipal, À ESQUERDA fica a Xavier de Toledo e claro À DIREITA, a Conselheiro Crispiniano...(você inverteu)... olha que eu estou com 73 e você deve ser pelo menos uns 6 ou 7 anos mais moço... (será que estes enganos "SÃO UMA PRAGA") como você diz ou mudaram os nomes destas ruas ???? rsrsrsrsrsrs Abraços meu caro Mario, somente faço correções, no intuito DE ESCLARECER... abraços, Flavio Rocha. Se vier à Recife, me telefone pois assim iremos falar muito de futebol dos anos 40/50 para lembrar suas "andanças futebolisticas"...(meus telefones estão no meu texto de 26.01.2006). Saudações tricolores... (não sou Bambi não)... Enviado por Flavio José da Rocha - flaviojrocha@bol.com.br
Publicado em 27/03/2007 Caro Mário: já comentei como aprecio seus textos, e sua memória.Fiz-lhe, porém, a sugestão de arejá-los mais, para facilitar a assimilação das informações. Outra coisa : creio que sua mente flui rápida, e junto vão as palavras, então, é preciso fazer sempre uma checagem posterior, para evitar falhas, como a do PONTO FRIO, em vez de CHIC, e esta da Cons. Crispiniano. Faça isto, e seu texto será magnífico. Abs. Enviado por Antonio Tomás Figueiredo - tomasfig@gmail.com
Publicado em 27/03/2007 Prezado Flavio.Você tem razão. Realmente é a Xavier de Toledo. Mas por incrivel que pareça. mesmo voce me alertando e eu mesmo fazendo o reparo minha cabeça pensa Conselheiro Crispiniano.Coisa de Louco. A conselheiro é a esquerda de que esta de frente ao antigo Mappin de costas para o teatro municipal. Eu trabalhei no Mapping em 1969, logo quando foi aprovado a lei que permitia as lojas trabalhar até as 22 horas. Tambem me enganava. Esses enganos são uma PRAGA. O brigado pela correção... Enviado por MARIO LOPOMO - mlopomo@uol.com.br
Publicado em 27/03/2007 Desculpa Ivam. Comi barriga neste seu texto. Vou ler. Enviado por MARIO LOPOMO - mlopomo@uol.com.br
Publicado em 27/03/2007 Meu caro, Flávio. Muito obrigado. Suas palavras me envaideceram. Mário Lopomo é mesmo um contista de primeira linha, mas falha como leitor. Se acompanhasse com um pouco mais de atenção as obras alheias não cometeria esses deslizes.
Mas fora isso é um escritor de tirar o chapéu
Um abraço
Ivan Castelo Branco
Enviado por Ivan Castelo Branco - ivancbranco65@yahoo.com.br
Publicado em 27/03/2007 Meu caro, Mário. Acho que me excedi um pouco nos meus comentários.
Desculpas aceitas.
Ivan
Enviado por Ivan Castelo Branco - ivancbranco65@yahoo.com.br
Publicado em 26/03/2007 Mário lembrtança mais do que merecida. Valeu! Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 26/03/2007 Caro Lopomo,
AGUENTA CORAÇÃO!!! (como dizia o saudoso Fiori Gigliotti) pois você irá receber diversas "contestações" sobre esse texto...certo dia você escreveu neste site, sobre as "correções"em seus textos (aliás sempre otimos)e até "levou numa bôa" pois hoje nesse texto "O GUARDA LUIZINHO", você comete dois enganos: o primeiro: êle ficava na travessía da Xavier de Toledo e não da Conselheiro Crispiniano rsrsrsrs... (como o ví várias e várias vêzes)e o segundo, ao não mencionar o corretissimo texto do IVAN CASTELO BRANCO, editado em 07.12.2006, sob o título "UM ANJO DA GUARDA" (dê uma olhada lá)...brincadeiras à parte, LEIO E ADMIRO todos os seus textos aquí colocados, sempre com a galhardia de um REDATOR, que sempre foi e será...(enganos, todos nós cometemos),Um grande abraço, de Flavio Rocha. Qualquer dia que estiver em São Paulo, farei questão de comparecer a uma reunião de vocês todos, para conhecê-los, principalmente você e o Saidenberg... (essas correções, somente se fazem necessárias, para não "confundir a cuca" da nova geração de moradores desta cidade, que não tiveram a felicidade de a conhecerem 40 ou 50 anos atrás...)
Enviado por Flavio José da Rocha - flaviojrocha@bol.com.br
Publicado em 26/03/2007 É mesmo, por onde andará ? Não é todos os dias que se encontra um guarda como esse. Enviado por Luiz S.Saidenberg - saidenberg@ajato.com.br