Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias A engraçada Autor(a): Ana Regina Carnevalli Parra - Conheça esse autor
História publicada em 21/10/2013
Aquela mulher é mesmo muito engraçada. Disse que o marido pode aprontar, que não tem nadinha de ciúmes. 
 
Deixa atender telefone, falar no celular, com código, sem código, mas tem um porém: todo o dinheiro que entra, tem que chegar aqui, aqui, olha e mostra o bolso dela.
 
Quando o conheceu, achava o cara meio esquisito, sem graça, repetia coisas e demorava para decidir os negócios.
 
Sempre que recebia um convite dele para passear, arrumava desculpas: hoje não posso, eu não bebo, estou de regime, amanhã tenho outro compromisso, mas as colegas, com ele, faziam uma bajulação incrível, um tal de café, água e sorrisos o tempo todo.
 
Mas um dia foi convidada para a festa de aniversário de um sobrinho dele. Sem cerimônia, ofereceu e levou uma maionese. Não é que caiu no gosto do pessoal da Vila Mariana?
 
Esse prato tão saboroso ficou na história e ele estava lá. Aclamada para preparar novos quitutes, um dia, de lado, por ele foi chamada para uma conversa. Propôs assumir um compromisso sério: namorar com ele.
 
Pensou, pensou, pensou um pouquinho mais e com os seus botões decidiu: “Vou tentar, não tenho nada a perder, quem sabe um dia ainda esse cara melhora comigo!”.
 
De fato, ficou mais comunicativo e organizado. Satisfeita com o trato, casou e ficou com o bolso cheio desde aquele ato!
 
 
E-mail: arcparra@ig.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 25/10/2013

É..., para alguns, o dinheiro compra tudo. Pena , não????

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcos.lour@yahoo.com.br
Publicado em 22/10/2013

Ótimo, Ana. Gostei muito. Cada coisa, né? Um beijo.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 22/10/2013

Ana, gostei da história e principalmente de como você a contou. Lembrei de um amigo cuja mãe cozinhava tão mal que ele pediu uma colega de trabalho em casamento depois que ela lhe ofereceu um pedaço de chuchu empanado.

Enviado por Abilio Macêdo - abilio.macedo@bol.com.br
Publicado em 22/10/2013

É a velha história, embora divertida, das espôsas de antigamente: - Meu marido é um santo. Não deixa faltar nada em casa, não me importa o faça na rua. Mas, os tempos mudam, e já não se encontram Amélias como antes. Ainda bem, pois para mim Mulher de Verdade não é assim.

Enviado por Luiz Simões Saidenberg - lssaidenberg@gmail.com
Publicado em 22/10/2013

Interessante texto sobre transformação de comportamento. Casou, tem os bolsos sempre cheio(?), vive feliz com o resultado de sua escolha. Parabéns, Parra.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 21/10/2013

Ótimo, gostei demais como sempre sintetica. parabéns.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 21/10/2013

Ana, engraçada e muito esperta né! Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 21/10/2013

Quem seria essa mulher?

Fiquei curiosa.

Mas afinal ela mudou o cara.E ficou com o bolso cheio rs.

Gostei do texto,e da rima final.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »