Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares A São Paulo de minha memória Autor(a): marcio silva - Conheça esse autor
História publicada em 01/11/2013

O ano era 1977, tempo quente, o governo era militar, mas minha história é outra.

Tinha acabado de completar 14 anos de idade.

Em casa o sistema era esse, quem completasse 14 anos de idade, já iria tirar a certeira profissional e procurar o primeiro emprego.

Meu primeiro emprego foi em uma fábrica de arames do grupo Votorantim, que ficava na Vila dos Remédios, próximo à Vila Leopoldina, e tinha um escritório em um edifício na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo.

Foi assim que comecei a conhecer São Paulo. A São Paulo dos anos 70.

Pegava o ônibus Praça Ramos, que passava ali na Vila dos Remédios, e descia na Praça Ramos.

Eu era um office boy, ou mensageiro.

Às vezes, eu ia de trem, e descia na Estação final Júlio Prestes.

Então ia a pé até a Praça Ramos.

Caminhava sempre pela Av. Ipiranga, e mais à frente, entrava na Av. São João.

Às vezes ia de manhã e às vezes à tarde.

As vezes que eu ia de manhã, chegava na Av. São João e de longe já sentia o cheirinho daquele churrasco Grego, muito conhecido em São Paulo, que ficava na porta da galeria. Que hoje se conhece como a Galeria do Rock.

Churrasquinho muito saboroso e cheiroso, mas que até hoje, não sei que tipo de carne ele usava.

Só sei que eu comia todo dia e ainda ganhava um suquinho, tudo por Cr$ 1 (um cruzeiro).

Acabava de comer, ainda tinha que caminhar mais um pouco até chegar à Praça Ramos.

Às vezes, eu ia por dentro da Galeria do Rock, e saía na 24 de Maio, em frente ao Teatro Municipal.

Às vezes, eu ia por baixo, e saia por trás do Teatro, já na porta do edifício Votorantim, onde ficava o escritório da fábrica em que eu trabalhava.

Já com os documentos entregues no escritório, agora era só alegria.

Pois tinha que fazer os bancos, mas não era assaltar não, era fazer os pagamentos das faturas da empresa e os depósitos.

Eu gostava desse serviço, pois eu tinha a chance de ficar andando e conhecendo as ruas de São Paulo.

Então, foi onde conheci o quanto São Paulo é grande e bonita.

Viaduto do chá, Rua direita, Praça da Sé.

Praça do Colégio, 15 de Novembro.

Sete de Abril, 24 de Maio, Rua Aurora, Rua Vitória, etc.

Adorava ver os artistas de rua, mágicos eram os preferidos.

Tinha até a casa dos mágicos, que ficava na Praça da Sé, onde você poderia comprar diversos apetrechos para mágico.

Acabando o serviço, era hora de andar por São Paulo e conhecer lojas e suas ofertas.

Calça Lee, Lewis, Cocotinha, gritava o rapaz na entrada da 24 de maio, era hilário. Sempre, ele estava ali.

Em uma travessa da Av. São Luiz com a Praça Ramos, tinha um guarda de trânsito muito engraçado. Todos paravam para vê-lo trabalhando.

Era um malabarista do apito. Seu nome. "Guarda Luizinho".

Se você atravessasse a rua fora da faixa, ele pegava na sua mão e te levava até o outro lado da rua.

Muitas vezes ele fazia você passar por dentro de um carro. Ele sempre mostrava uma caveirinha de plástico.

Ele dizia que aquele era o fim de uma pessoa que atravessasse fora da faixa, ou em um farol vermelho.

Eu me divertia muito com ele.

São muitas as memórias de São Paulo dos anos 70.

Na época de natal, adorava passear pelo Mappin, era toda enfeitada, um magazine enorme que hoje só ficou na lembrança.

Foi onde eu comprei meu primeiro aparelho de som Sharp.

Muitas vezes quando já estava indo embora, pegava o caminho por de trás do Teatro Municipal e acabava saindo em frente ao O Rei do Mate, era o primeiro de muitos que hoje existem.

Tomava meu chá geladinho com abacaxi, era uma delícia, que sinto até o gosto, ainda hoje.

Entre ruas e cinemas famosos, comércios, multidões que diariamente trabalham pelo centro de São Paulo, essa é a minha São Paulo, da minha memória.

Jamais se esquece de São Paulo, quando se vive ou se trabalha nela.

Só pode saber do que estou falando, quem já viveu esta época em São Paulo.

Um abraço a todos.

E boas lembranças a vocês.

E-mail: msg2014@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/11/2013

Esta São Paulo não existe mais, mas a gente continua amando esta terra como sempre.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcos.lour@yahoo.com.br
Publicado em 03/11/2013

Marcio, como é gostoso ler sobre São Paulo e sentir as maravilhas desta cidade. Eu também adora ir ao Mappin princialmente na época das festas de final de ano.Que sorte a sua ser um office boy e aprender sobre a cidade.Lindo texto, um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 03/11/2013

Parabens pela foto!! Feliz de nós que vivemos intensamente esta época,tão bem traçadas por voce.O nosso dia era intenso e cheio de momentos agradáveis e desagradáveis,mas se tinha metas e sonhos futuros a serem cumpridos.Comprávamos algo a prestação e curtíamos por anos até o sonho ser um pouco maior.E as prestações pagas uma a uma nos faziam esperar o mês todo com um sentimento de alegria,pois seria uma parcela a menos .Hoje os nossos jovens não compram apenas ganham...e na mesma semana já estão de olho em algo mais potente para ser adquirido pelos pais sem ao menos saber o quanto custou.Andávamos nas ruas do centro olhando tudo e admirando as vitrines,hoje só se anda de carro e com um aparelhino nas mãos correndo risco de acidentes fatais ou quando se encontram todos estão apenas olhando este mesmo aparelhinho e nem percebem que o tempo passa...passa e passa e eles um dia mais tarde verão que não sentiram passar.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 02/11/2013

Prezado Marcio. Adorei a sua narrativa, gostei tanto que já estou esperando outras tantas. Mas gostaria de dizer que a a Avenida São Luiz não faz esquina com a Praça Ramos, você confundiu a mesma com a Rua Xavier de Toledo ao lado do Mappin que era o ponto de atuação do famoso Luizinho. PARABÉNS.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 02/11/2013

Um roteiro sobre o trabalho de ofice boy, relacionando os principais recantos da cidade. Bem coordenado, seu texto, Marco, tem a particularidade de expressar seu trajeto com bastante conhecimento e boas lembranças. Parabéns, Silva.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 01/11/2013

É a pura verdade, pode passar o tempo que for, as lembranças ainda ficarão na memória.

Gostei de ler.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 01/11/2013

Márcio, que passeio delicioso você me proporcionou! Só tenho a agradecer pelas belíssimas memórias. Passeei muito por esses lugares e sempre fui apaixonada pelo centro de São Paulo. Parabéns mesmo. Muito legal o seu relato. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »