Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Mãe por controle remoto – Parte II Autor(a): Neide Gaudenci de Sá - Conheça esse autor
História publicada em 29/01/2014
São tantas as histórias desse período da minha vida que, assim como todas as mães que trabalham, o livro já estaria pronto e com milhares de páginas.
 
No meu último texto, contei uma do Flávio. Para equilibrar, vou contar alguma coisa da Ana Cristina.
 
Ela estudou no Caetano de Campos, naquele prédio majestoso na Praça da República, a partir dos quatro anos de idade. O pai, que trabalhava na Sete de Abril, nos Diários, estava encarregado de levá-la e trazê-la de volta, pois eu estava longe, trabalhando lá no Brás.
 
Terminada as aulas, ela ficava sentadinha naquela escadaria, esperando, sob os olhos atentos do guarda que atravessava os estudantes na rua que, agora, é um calçadão.
 
O guarda-civil, no seu lindo uniforme, com luvas e polainas brancas, distintivo dourado, apito e cassetete com cordões, mais seu garbo, atenção e autoridade deveria parecer um super-herói aos olhos da meninada.
 
Eu hoje me arrepio em pensar que houve alguns atrasos e até mesmo alguns esquecimentos e que esse anjo da guarda lá estava, indo muito além de sua missão de atravessar as crianças.
 
Que perigo!
 
A Ana Cristina (que se autoapelidou de Tica) era figurinha conhecida, extrovertida, tocava violão, era bandeirante e quando maior - pois ficou no Caetano até os 18 anos e foi da última turma do colegial a se formar na Praça da República – teve dificuldade com “aquela” matéria que apavora a maioria e me disse um dia, quando perguntei se tinha ido bem na prova: “Não é Matemática, mamãe, é matem-a-Tica!”.
 
Tenho certeza de que a amiga Vera Moratta vai gostar muito dessa tirada.
 

 

E-mail: neidegsa@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 06/02/2014

MATEMÀTICA esta é uma palavra de tortura para mim,fui reprovada no 3º ano do ginásio por esta megera e nunca consegui fazer determinados cursos por culpa desta matéria eu a ODEIO!!!!

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 30/01/2014

Digo, repito e vou dizer muitas vezes: ver nosso texto publicado é ótimo, mas, muito melhor mesmo são os comentários dos amigos.Peço perdão por não comentar todos os que leio. Adoraria ter no nosso site um "Gostei" para clicar... Que preguiça, hein?

Enviado por Neide Gaudenci de Sá - neidegsa@gmail.com
Publicado em 30/01/2014

Neide, minha querida, gostei mesmo da tirada. Aliás, gosto muito do que você escreve. Muito bom o seu relato. A Ana - a Tica - deve ser ótima, criativa e muito inteligente. Certamente, pois pela mãe que tem.. Um beijo, minha querida. gostei muito da lembrança.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 30/01/2014

Eu também gostei.

E o Caetano de Campos , juntamente com o Teatro Municipal são prédios cuja arquitetura são de encher os olhos.

Centro velho, quantas saudades...

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 30/01/2014

Muito interessante a "condenação" da Tica por uma matéria tão nobre e auxiliadora de todas as outras matérias. Parabéns, Neide.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 29/01/2014

Bela tirada mesmo, se a Vera Moratta não gostar o que eu não acredito, tenho certeza que muitos como eu e a Margarida gostarão. Parabéns

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 29/01/2014

Neide, infelizmente matemática é o terror da meninada na escola, tudo porque é encarada como uma disciplina que só poucos aprendem. Puro engano.Eu também gostei da tirada.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »