Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias O sítio do tio Autor(a): Ana Regina Carnevalli Parra - Conheça esse autor
História publicada em 05/02/2014
Em meados dos anos 60, todo domingo bem cedinho, o tio buscava nossa família, lá no bairro de Santana, para o sítio dele em Itapecerica da Serra, no seu enorme Chevrolet.
 
Meu pai adorava ajudá-lo nas investidas do plantio de flores, especialmente roseiras e mudas de árvores frutíferas.
 
Compravam mudas no meio caminho, rações para galinhas, peixes, abasteciam o carro e em uma padaria um enorme pão doce para o café da tarde.
 
Francamente, não achava a menor graça. Era uma adolescente com destino a um retiro.
 
Lembro que ficava em uma sombra envolta do lago e a manhã era interminável.
 
Levava livro, mas as pragas dos insetos não me davam sossego.
 
Quando investia nas caminhadas, à procura de frutas, era um desastre, o que estava maduro, ou era azedo ou bichado. Só mesmo o limão cravo para a limonada.
 
A bomba do poço de água era um problema, sempre quebrada e eles levaram muito tempo no seu reparo. Era o dia de trabalho do caseiro mais puxado.
 
O fogão a lenha é que animava, porque os quitutes da tia eram maravilhosos, levava pertences para feijoada, o arroz, a couve colhida e cortada na hora. Depois do almoço ela servia chá de erva cidreira, de perfume inesquecível. Era o momento de satisfação, conversa e relaxamento geral.
 
Depois, no final da tarde, retornávamos para a cidade, porta-malas cheio, rodovia calma, poucos carros, como não se vê mais!
 

 

E-mail: arcparra@ig.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/02/2014

E você, como toda boa adolescente que era, totalmente amuada. Certa que havia perdido mais um domingo, mal sabia que ainda teria muitos outros domingos pela frente.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 06/02/2014

Ana, até que era bom, só o almoço gostoso no fogão a lenha e o chá de cidreira, compensava a parte ruim. Até a estrada era boa! Pena que na época você não via assim.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 06/02/2014

Querida Ana,aposto que voce devia ter uns 12 ou 13 anos para sentir este dissabor em tudo...nesta idade a gente só pensava em ouvir uma música bem melosa... suspirar e fofocar com as amiguinhas da escola

Até hoje eu só gosto de chácaras ou sítios apenas nos feriados e finais de semana,e olhe que a modernidade impera nestes lugares,com direito a churrasco,piscina TV a cabo, internet e tudo mais,mesmo assim eu adoro o asfalto e a muvuca de São Paulo.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 05/02/2014

Gostei da história, Ana. Se um dia você pensar em escrever um livro sobre sua vida de adolescente, o título poderia ser “ANA, A URBANA”. Essa foi horrível, desculpe.

Enviado por Abilio Macêdo - abilio.macedo@bol.com.br
Publicado em 05/02/2014

Bons tempos Ana, bons tempos, hoje em dia a volta de qualquer lugar é congestionada, e com pedágio.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 05/02/2014

Desculpe Parra, com o calor que está fazendo agora, lendo seu desencantado roteiro sobre o sítio do tio, com as frutas azedas e bichadas, mosquitos e suas devastadoras ferroadas, bomba do poço sem funcionar, tudo sem graça, sinto pena de vc, não por ter ido ao sítio mas sim por ter se dado ao trabalho de transferir aos leitores estes desconfortos. Parabéns, Carnevalli.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 05/02/2014

Típica história de sítio, bem relatada, como sempre tem seus prós e seus contras, sempre achei bom para passar um final de semana e de vez em quando, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 05/02/2014

Ana, que delícia! Para mim seria uma festa, pois eu sempre adorei esse tipo de passeio em família. Adoro locais mais retirados. Itapecerica é muito linda, do século XVI. Pena, minha amiga, que você não curtiu. Mas o texto está muito bom, com detalhes que me fizeram vibrar. Um beijo.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »