Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Vocês se lembram do sapo? Autor(a): José Aureliano Oliveira - Conheça esse autor
História publicada em 19/02/2014

Tantos contos e histórias maravilhosas que acompanho no dia a dia aqui, no SPMC, apesar de não tecer comentários na maioria delas, mas tenham certeza que as leio todas. Vou quebrar esse encanto e falar um pouco de futebol que é o destaque neste ano em todos os aspectos, desde a Copa que está para chegar e todas essas brigas de torcida que cada vez mais mancha a magia de muitos malabaristas, que fazem da bola coisas maravilhosas, verdadeiros artistas nessa arte. 

 
Acredito que muito de vocês não ouviram falar desse sapo. Depois que o Corinthians conquistou o Campeonato do Quarto Centenário de Sampa em 1954, jejuou por 23 anos, sem conseguir um único título paulista. Gente, uma “inhaca” danada que nada dava certo. Contra o Santos, da era Pelé, como nós sofremos nesses anos. Lotávamos o campo e ficávamos centrados nele a hora que pegava na bola e começávamos as gozações e brincadeiras. Mas era pior, porque mexia com seus brios e logo ele driblava toda a nossa zaga e fazias seus gols. 
 
Ganhamos até o apelido de “Faz me Rir”. Conseguimos chegar em algumas finais de campeonato, mas saíamos todos como vice-campeões. Até o nosso melhor jogador da época, o nosso Reizinho do Parque, o Rivelino, não deu certo e mandamo-lo embora, sendo campeão pelos outros clubes que atuou, e Campeão do Mundo. A crise era tanta que foi contratado um pai de santo para ver o que estava ocorrendo, e o veredito foi que havia um sapo enterrado no gramado do Parque São Jorge. Matado a charada, já no ano de 1977, fomos Campeões Paulista. E como todos os clubes grandes aqui da capital, salvo alguns clubes do interior, mudou-se o panorama e começaram a chegar os títulos disputados. Tivemos até um Doutor no nosso ataque, que foi campeão do mundo. 
 
Em 2012 foi o nosso auge, chegando vários títulos com os dois principais que foram: Campeão da Libertadores e Campeão do Mundo Inter-Clube. E para a nossa satisfação, o nosso arquirrival foi parar na Série B. No ano passado, 2013, o time desandou, quando a Diretoria mandou o nosso técnico campeão embora e por pouco não fomos parar na Série B. Para piorar, o nosso arquirrival foi campeão e voltou para a Série A, estando atualmente com 100% de aproveitamento de todos os jogos disputados neste ano. 
 
Nesses últimos jogos, o nosso maior zagueiro “Gil” vira de costas para o atacante e levamos o gol. O Romarinho não chuta a bola e sim da um coice nela. O Danilo em baixo da trave cabeceia para fora. O Guerreiro idem e chuta a bola para fora. Acabei de receber um e-mail de uma fonte que não posso revelar, que um “Palestrino maledeto" (risos), na calada da noite, esteve no Parque São Jorge e enterrou novamente o “sapo” nos gramados da fazendinha. 
 
Gostaria de alertar a nossa diretoria para ficarem atentos, porque estamos de malas prontas para mudarmos lá para o Itaquerão, e não podemos bobear senão eles levam o sapo para lá (risos). “Doutor, eu não me engano, meu coração é corintiano/ Eu não sabia mais o que fazer/ Troquei um coração cansado de sofrer! Ah! Doutor, eu não me engano, botaram outro coração corintiano!”
 
E-mail: joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 21/02/2014

Aureliano, desculpe mas o que mais aborrece, a nós, palestrinos, é não ter mais sapos na Marginal Tiete pois, ali não vinga mais nada. Naquela época, sapos eram todos de boa safra, respeitados e cumpridores de suas obrigações. Havia uma raça ótima pra incomodar os alvinegros. Era o sapo esverdeado, da raça "esmeraldinófilus", que prestou excelentes serviços aos palmeirenses. Mas, não se preocupe com muita antecipação, já foi encomendado, virá do Amazonas porém, em virtude do seviço de proteção a fauna, vai ter um pequeno atraso. Todos eles, os sapos, vão ser utilizados só em Itaquera, num cantinho bem aconchegante pra melhor cuidárem dos resultados dos jogos.

Desculpe, José, vc é que começou lembrando a nós, esmeraldino nossa passagem pela "B". Agora é nossa vez. Um abração, Oliveira e parabéns pela crônica.

Laruccia

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 20/02/2014

Aureliano, como "palestrino" da velha guarda devo lembrar ao amigo que atualmente todos os clubes estão precisando melhorar pois já não temos craques que fazem a diferença, com exceção do Neymar os outros são jogadores de pouco aporte técnico, por isso eu já não vou mais aos estádios pois até a minha integridade física está em risco, abraços, Nelinho.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 20/02/2014

José, meu querido companheiro de letras, aprendi a ser palmeirense com o meu filho. Portanto, a gente adora "secar" o Corinthians e depois telefonar par o meu cunhado "tirando onda". Que bom ter direito a brincadeiras, não é? Um abraço. E o nosso verdão lidera, né Marga?

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 20/02/2014

Faltou só o fato de que nessa maré de Azar, também fomos chamados de arroz brejeiro, o que até o nosso ultimo titulo mundial estava na minha garganta, Mas vamos ficar de olho nesse Sapo, pois eu me lembro bem dessa historia, e se não me engano o Pai de Santo que descobriu o mesmo enterrado no Parque São Jorge foi um veterano jogador do nosso Timão, se não me falha a memória um tal de Jaú. Parabéns José Oliveira.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 20/02/2014

Bonito texto Aureliano; peguei essa época ai do Santos & Cia, até que um dia naqueles 2 x 0 no Pacaembu, a casa caiu lembra? Quanto ao sapo que faz lembrar de outras coisas, risos creio que é bobagem de vocês corintianos, só se admitirem e permitirem superstições grosas. Temos um jogador daqui de SC que ajudou bastante o seu time, o Zenon lembra também? Amigo apesar do talento reconhecido, e de grandes títulos conquistados Sócrates não foi campeão do mundo, mesmo assim em 1982 foi como se fosse... Abraços,

Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 19/02/2014

Falando em Dr, o nosso querido Dr. Sócrates estaria completando hoje se estivesse vivo 60 anos.

Parabéns, mas está na hora de voltar aquela camisa " Nunca vou te abandonar" pois o time está uma draga como diz o meu corintiano roxo aqui em casa.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 19/02/2014

Aureliano, com sapo ou sem sapo, o mais importante é que meu verdão lidera. Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 19/02/2014

Muito bem lembrado, esse foi unico sapo que não virou principe, mas ser corintiano é ir do céu para inferno e vice versa de um ano para o outro, muita emoção, haja coração, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 19/02/2014

Aureliano o meu também. Tomara que este maldito sapo tenha mesmo acabado em 1977, e a caveira dele não venha nos estorvar durante anos seguidos. São os meus votos, os seus, os do Arthur e mais 35 milhões de ouros corações.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »