Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Primeiro e derradeiro voo Autor(a): Modesto Laruccia - Conheça esse autor
História publicada em 28/02/2014
(Manhã, passando pela porta fechada do supermercado no Parque Continental, zona Oeste de São Paulo, onde moro, vejo no chão um filhote de sabiá, se estrebuchando de dores e morrendo em seguida. Dedico a esta pequena criatura estes versinhos).
 
Do alto da frondosa árvore, em um aconchegante ninho, 
O pequeno Bentinho via sua mãe entrar, pela bandeira 
Aberta do supermercado... Voltar, sempre com alimentos.
Observando, atentamente, mamãe, no bico, um sorrisinho.
Chegara a hora, aprender a voar, mamãe, sempre ordeira,
Pede a Bentinho que ensaie seus primeiros movimentos.
 
Bentinho, sapeca, vivo e esperto, já quer voar direto.
“Primeiro, tente bater as asinhas”, Bentivenha aconselha.
Bentinho, em seu limitado saber, “eu vi a senhora voar...”
Manhã linda, ensolarada, Bentivenha sai em voo correto,
Em busca de mais alimento, Bentinho, não é só palha,
Que vai satisfazer o pequenino, que quer um voo tentar.
 
Apenas o bater de asinhas, não faz um pássaro liberto,
Mirando a bandeira do supermercado, lembrando mamãe,
Bentinho enche o peito, ainda com casquinhas de ovo.
Vai mostrar para mamãe que ele também voa, e é esperto,
Começa a bater as asinhas, vê a bandeira, ele se empenha.
Não vê... Bandeira fechada, vai de encontro ao vidro polido
E cerrado, trágico final de vida, em um triste e verdadeiro
Primeiro voo derradeiro.
 
E-mail: modesto.laruccia@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/03/2014

Como sempre, meu querido Modesto, uma sensibilidade digna dos espíritos mais elevados. Meus parabéns. Como sempre uma preciosidade proveniente de um homem verdadeiro. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 01/03/2014

Bonito. E muito triste, Modesto.

Enviado por Luiz Simões Saidenberg - lssaidenberg@gmail.com
Publicado em 01/03/2014

Modesto, linda historia com final muito triste, mas valeu a sensibilidade desta homenagem nos seus lindos versos. Parabéns!Um grande abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 28/02/2014

Lindo Modesto. E parabéns ao Bentinho, pelo menos ele tentou, não ficou na obscuridade dos covardes.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 28/02/2014

PARABENS MODESTO.LINDO TEXTO.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 28/02/2014

Sentir o pulsar da vida e agradecer a todos os momentos da vida parece uma obrigação que temos com o Criador, mesmo que esse pulsar pare algum dia. Mesmo sendo o trágico fim de um pássaro, mostro o sentimento neste sublime poema.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 28/02/2014

Simplesmente amei seu lindo verso!

Tão perfeito na rima,e na métrica.

Abraço.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »