Leia as Histórias

Categoria - Personagens A metida Autor(a): Ana Regina Carnevalli Parra - Conheça esse autor
História publicada em 25/04/2014
Usava sapatos surrados,
Comprados em uma liquidação,
Lá do Largo Treze, daqueles que
Ninguém quer saber.
As roupas, muito poucas, possuía a que vestia 
E a troca que secava atrás da geladeira.
Mas, tratava bem da comida do pessoal de casa.
Dos salários, dela e do marido, grande parte
Destinavam para a poupança, além do valor total
Do décimo terceiro e das férias. Era pura economia!
Quando surgiu a oportunidade de comprar
Um terreninho, no Bairro do Campo Limpo,
Para o negócio foram tratados com desprezo,
Talvez, por conta da total simplicidade do visual.
O marido quando perguntou o valor da negociação,
Disse, para espanto dos observadores, pago à vista!
Realmente, muita disciplina e determinação.
A aparência, na nossa sociedade, é uma coisa, engana!
 
E-mail: arcparra@ig.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/05/2014

Ana, as aparências enganam realmente, não se deve julgar ninguém pelos seus trajes ou vocabulário, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 03/05/2014

Pessoal,

Vocês podem não acreditar, mas essa história eu ouvi num banco de espera...achei boa, por isso a escrevi!

Enviado por Ana Regina Carnevalli Parra - arcparra@ig.com.br
Publicado em 29/04/2014

Disciplina e determinação.Você deu o caminho para a obtenção.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 29/04/2014

Ana, fruto do trabalho e deve se orgulhar! O desprezo que foi dado, deixa pra lá,o que importa é a vitoria de vocês dois. Também já passei por isso, mas nunca mais voltei lá, optei por outro e que também foi a vista. Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 28/04/2014

Esse seus belos e sintéticos versos, vem desmentir aquele velho ditado, muito do negativo, que eu ouvia muito quando era menino na minha velha Freguesia: Que a economia é a base da Porcaria. Parabéns

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 28/04/2014

Parabéns Ana. Como já disse outras vezes, é incrível seu talento para escrever uma crônica interessante em forma de poesia. Aliás, já vi esse filme algumas vezes. Não só de pessoas de alto poder aquisitivo que foram menosprezadas por estarem vestidas com simplicidade, como também de outras que recebiam todos salamaleques, por estarem sempre bem vestidas, e depois descobriu-se que não passavam de picaretas.

Enviado por Abilio Macêdo - abilio.macedo@bol.com.br
Publicado em 25/04/2014

O tempo em proza ou poesia e lindo Ana . Abraços ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 25/04/2014

Ana, minha querida, permita-me discordar do título do seu relato. Metida não, bem. Só quem sofre as dificuldades, os problemas da escassez sabe que tem mesmo que ter austeridade franciscana para poder garantir o espaço próprio com dignidade. Parabéns para essa pessoa e para você também. Um beijo.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 25/04/2014

Saudável e lírica compra de um terreno, numa alegre e bem estruturada poesia. Parabéns, Parra.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »