Leia as Histórias

Categoria - Personagens Visitas à mana Autor(a): Julia Poggetti Fernandes Gil - Conheça esse autor
História publicada em 28/04/2014
Em 15 de dezembro de 2013 foi comemorado o Natal na casa de repouso onde se encontra minha irmã. Saímos de Ribeirão Preto às 7h30, chegamos a SP às 11h30. Eu e uma amiga ficamos de encontrar minha irmã gêmea na Estação Alto do Ipiranga, logo que saímos da estação lá estava ela.
 
Resolvemos almoçar no restaurante “Galeta Dourada” que fica na Rua Padre Marchetti, no Ipiranga; pensamos em ir de ônibus elétrico para matar a saudade, eu e a Silvia sempre o usávamos para ir à escola, mas passou um táxi primeiro e lá fomos nós. O Galeta já foi bem melhor.
 
Acabamos de almoçar e resolvemos ir a pé até a casa de repouso, que fica na Vila Monumento. Minha amiga que nunca havia andado pelo bairro do Ipiranga ficou encantada com o charme do bairro, passamos pela Rua Gama Lobo e em cada casa um jardim primoroso, a Silvia foi tirando fotos o tempo todo.
 
Chegamos lá 14h30min, a Dra. estava sentada bem na primeira mesa, ficamos com ela conversando um pouco, apesar de ter gostado muito da visita da minha amiga, não tirava os olhos do portão esperando pelos netos e pelo filho. Como eles estavam demorando, ela fez menção em levantar e ir chamar a nora, pois eles disseram a ela que moravam logo ali, então ela pensa que moram na casa ao lado.
 
Quando acabei de dizer que não precisava, pois já havia telefonado para a nora, eis que abre o portão e entra o neto mais velho de nove anos, em seguida o filho dela, a nora e o bebê de um ano. Gente, o sorriso dela foi de orelha a orelha, aí sim a festa começou para minha irmã Dra. Engraçado que o bebê de um ano ama ficar no colo da avó, parece até um gatinho, deita e rola nos braços dela.
 
A Silvia levou uma quiche de alho poró, e eu levei paçoquinha diet e bolo de chocolate. Tudo era colocado em uma mesa comum e todos podiam compartilhar, foi muito bom. Na volta, meu sobrinho deixou as tias no metrô Alto do Ipiranga e fomos até o Paraíso, a Silvia continuou até a estação Trianon, eu e minha amiga descemos no Paraíso e fomos para o Terminal Tietê.
 
Em fevereiro de 2014, fomos lá novamente, desta vez o Gilberto também foi, aproveitamos para sair, almoçamos fora e cortamos o cabelo da mana, só que na volta ao descer do carro a mana caiu, da próxima vez vamos ficar na casa de repouso mesmo.
 
1 de abril de 2014 - Aniversário da Dra.
Lá fui eu, desta vez sozinha, peguei um ônibus aqui em Ribeirão Preto às 4h e cheguei a Sampa às 9h30. Metrô até a Estação Paraíso, outro até a estação Trianon, para chegar à Silvia, fomos almoçar em um restaurante no bairro da Liberdade chamado Hikiriki, tem um frango com laranja que é uma delícia.
 
Aproveitamos e fomos até a SPTrans para fazer o nosso bilhete gratuito de idosas, que já somos, e depois fomos até o Ipiranga visitar a mana. A nora dela já havia estado lá e deixou o bolo e os refrigerantes, chegaram também mais duas amigas dela e fizemos uma festinha, saímos de lá bem felizes desta vez, pois há muito tempo que não encontrávamos essas amigas, uma delas é filha da minha madrinha Cristina. Foi muito bom.
 
PS.: Aproveito para contar as vantagens de ser idosas para ir a SP: só paguei a taxa de embarque. Então, pessoal, arrumem as malas e pernas, para que te quero? Andar claro!
 
E-mail: gibajuba@yahoo.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/05/2014

Julia, é bom passar alguns momentos alegres com nossos entes queridos, a vida segue seu curso, parabéns pelo seu relato e pelo cartinho com sua irmâ.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 01/05/2014

Roteiro e feliz visita a irmã, com todas as atrações que o passeio ofereçe. Parabéns, Julia.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 29/04/2014

Toda idade tem sua dor e seu encanto. Para você foi só encanto.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 29/04/2014

Julia, que bom que você pode fazer tudo isso. Quanta alegria e momentos marcantes na vida de todos.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 28/04/2014

Júlia, que emoção! Uma festa para a irmã gêmea, um natal colorido e cheio de abraços. Parabéns para todos vocês. Lindo relato Um beijo, querida.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 28/04/2014

Realmente, Fatorelli e Walquiria, nós tentamos de tudo para tornar esse tempo com ela um pouco mais agradável, mas quando chego aqui em casa bate uma tristeza daquelas.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 28/04/2014

Gil lindo e comovente - Bravo isso mesmo pernas para quem te quero - Que Deus abençoe vocês todas - Abraços ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 28/04/2014

Gostei tanto dessa sua narrativa que nem sei o que dizer. portanto, aceite meu humilde parabéns.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 28/04/2014

Embora haja a presença marcante e esforçada dos familiares sempre fica um vazio a ser preenchido e que as recordações de tempos felizes faz o coração apertar no peito. Recordar São Paulo nos traz um pouco de alento, embora a saudade faça os olhos marejarem...

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 28/04/2014

Querida Julia,sinto muita tristeza quando voce fala da sua irmã doutora...uma obstetra tão batalhadora que venceu com tanto esforço jamais poderia desligar sua mente da vida ainda no auge de sua produtividade...Eu não consigo entender como acontece o ALZAIMER em pessoas que ainda tem tanto tempo para viver e ajudar as pessoas com sua profissão abençoada...Meu coração aperta em pensar na sua tristeza de ver assim sua irmã mais velha que ajudou a cuidar de voce e sua irmã gêmea com tanto carinho...e agora voce está tão longe dela quando queria estar tão presente.Existe alguns benefícios para depois dos 60 anos,mas longe de sermos idosas,o governo apenas nos devolve um pouquinho do que ele já recolheu da gente nestas décadas todas.Volte sempre que puder,são estes momentos felizes e mágicos que levamos desta vida...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »