Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Como era verde o meu vale... Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 15/05/2014
Na década de 50, nas imediações da Rua da Consolação com a Al. Jau e Al. Itu, tínhamos vários campinhos de futebol onde os garotos podiam escolher o campinho no qual queriam jogar o seu futebol.
 
Na época tinha vários terrenos nos jardins, onde logo virava campinho de futebol. Poucos movimentos nas ruas, o trânsito era bem devagar. Época maravilhosa, da minha infância querida, mas o campinho que eu tinha preferência ficava na Av. Rebouças, próximo ao Hospital das Clínicas; ele era meio declive, mas todo gramado. Parecia um vale.
 
Fizemos grandes jogos, o povo todo em volta do campo torcendo para nós vencermos; era uma alegria total, o progresso foi chegando e os campinhos foram desaparecendo, para dar vez aos grandes edifícios para embelezar o Jardim América.
 
O último a desaparecer foi o meu preferido: o campinho da Av. Rebouças, quando foi alargada a rua destruíram o meu lindo campinho verde, hoje não existem mais os campinhos de futebol no bairro, mas sempre lembro e vem as lágrimas de saudades; nunca vou esquecer de como era verde o meu vale.
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 22/05/2014

Que delícia de infância que tivemos, devemos sempre agradecer a DEUS por isso, hoje ainda faço questão de ensinar as brinadeiras antigas para o meu neto, para que ele não fique só vidrado em joguinhos de computador/celular/ tablet ou sei lá o que mais só sei que acabam se alienando.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 15/05/2014

Capasso, infelizmente hoje não existem mais terrenos onde se pode bater uma bolinha, aquí no Ipiranga também acabou, é uma pena, parabéns pelo seus saudoso texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 15/05/2014

Nossa geração está diretamente ligada aos campos de futebol que se espalhavam por toda São Paulo, e que infelizmente perderam espaços em nome do "progresso" da cidade.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 15/05/2014

Quem também deve estar com saudades do grande Verde são os Palmeirenses, que atualmente são obrigados a curtir esse Verdinho que sem o Valdívia e o Kardec fica um capinzalzinho amarelo e quase sem vida, (risos). Mas Capasso eu também tenho muitas saudades do mato e da várzea paulistana, mesmo achando maravilhoso viver nessa enorme cidade que cresceu no lugar da grama dos campinhos que joguei e também das lagoas e das barrancas onde ainda bem jovem eu pesquei.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 15/05/2014

É assim mesmo, Capasso, tudo que é verde, amadurece e começa a dar bons frutos. Se o seu vale esverdeado sofreu a inconstãncia do cinza, ficou, pelo menos o azul do ceu. Parabéns, Claudio.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »