Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Praça Dr. João Mendes de Almeida - jurista Autor(a): Vilton Giglio - Conheça esse autor
História publicada em 06/05/2014
Minhas inspirações para escrever sempre despertam mais pelas madrugadas, desde sempre, são 3h15 do dia 6 de maio de 2014. Escrever sobre essa praça Dr. João Mendes de Almeida é uma forma de prestar uma homenagem ao nobre jurista e a São Paulo.
 
Essa praça, mais conhecida como Praça João Mendes, centro de São Paulo, é extensa; temos pés de Pitanga, já escrevi sobre isso, tem um Monumento de um dos maiores juristas nordestinos do Brasil, Dr. Clóvis Beviláqua, literalmente monumento. Sua biografia é muito extensa, homem extremamente culto, simples, humilde, fez a escritura civil do Brasil, morreu pobre, tem uma estátua de um caixeiro, um carrinho com lixo reciclável com um morador de rua dormindo embaixo dele, mais parece uma casa ambulante, com direito a dois cachorros SRD, vários engraxates fazendo serviços de leva e trás de documentos do Fórum!
 
Tem morador de rua com "cabanas", prostituição à noite, usuários de drogas, isso é normal nas praças de São Paulo, carrinhos de pipoca, pontos de ônibus para diferentes e longínquos lugares, advogados em seus distintos ternos chiques no "urtimo", com direito a suspensórios e tudo o mais, farras dos estudantes (calouros ou “bichos” de Direito da USP).
 
Nessa Praça João Mendes de Almeida, aliás, não entendo como nomes de logradouros públicos de São Paulo sempre são abreviados, muitos não tem nomes completos, até gerando confusão, um dia esteve localizado a cadeia masculina e feminina, júri, casa do carcereiro, Câmara Municipal, atualmente tem o maior fórum civil do Brasil, o Fórum João Mendes, há processos de muitos anos "tramitando" com aquelas pastas horrendas, cheia de ácaros, ensebadas, cheias de bactérias. 
 
Tem uma das mais antigas padarias do Brasil, vários sebos, um "monte de farmácias", bancas de jornais, várias "meninas de programa" encostadas nas lojas com pernas "grossas" e minissaia ou calças delineando suas formas, em seus saltos altos, Igreja de São Gonçalo, não me recordo de que data, mas é muito antiga mesmo, lojas que fabricam sapatos Mocassim, bares variados, lojas de carimbos, de aulas de violão, produtos naturais, enfim, tudo de bom e até ruim.
 
Portanto, essa praça é um poço da história de São Paulo, onde temos o nome de dois dos maiores pensadores do país: o Dr. João Mendes e Dr. Clóvis Beviláqua.
 
E-mail: viltongiglio25@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/05/2014

“Viajar” por estes locais faz-nos imaginar sobre um passado não muito distante. Parabéns pelo texto. Vide um pouquinho da historiografia local em:

Os azulejos portugueses da Igreja dos Remédios e a Biblioteca Municipal de Santo Amaro

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com.br/2013/01/os-azulejos-portugueses-da-igreja-dos.html

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 06/05/2014

Vilton, infelizmente as praças de São Paulo hoje são pontos de moradores de rua, eu que conheci essa que foi citada por você hoje não pode ser frequentada após as 20:00 horas, é uma pena, parabéns pelo seu texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 06/05/2014

Pois é Vilton, essa é a São Paulo da realidade, da atualidade, abandonada,da miséria e temos a São Paulo da acolhida,(vide os Haitinianos) a do amor, da beleza, do trabalho, do progresso, enfim nossa cidade é multifacetada, é triste ter que ver o lado que voce descreveu, parabéns,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »