Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias O rádio na casa do vovô Luiz Autor(a): Nelinho - Conheça esse autor
História publicada em 31/07/2014
O dia demorou a passar. Mal conseguíamos conter a ansiedade para saber qual seria o presente que o meu primo Benedito iria trazer para meu querido avô Luiz.
 
A noite chegou, e por volta das 19h, o primo chegou trazendo embaixo do braço um lindo aparelho de rádio, que ele mesmo montara durante o curso de eletrônica feito por correspondência. Colocou o rádio sobre a mesa da sala, ligou na tomada e começou a girar os botões. Não é preciso dizer que a euforia foi geral, naquela época ter um aparelho de rádio em casa era um verdadeiro luxo!
 
O rádio tinha duas faixas de ondas, uma para as emissoras da capital e outra para emissoras que operavam em outros estados. Meu avô até instalou um fio de antena no quintal, para poder ouvir melhor o som. Foi um sucesso absoluto.
 
Durante anos o rádio foi o único veículo de distração lá em casa, lembro-me ainda de alguns programas que eram ouvidos pelos meus familiares. Meu tio Zézinho ouvia um programa denominado "Ecos da Broadway", transmitido pela antiga Rádio Excelsior, no horário das 11h30 da manhã.
 
Minha avó Maria e minha Tia Ermelinda ouviam as novelas da antiga Rádio São Paulo, com os artistas Osvaldo Calfat, Enio Rocha; um programa que se chamava "Mala Postal", com o locutor Urbano Reis; e um outro chamado "Cartas de Amor", com o galã Valdemar Ciglioni. Aos sábados e domingos no horário das 13h, tinha o "Teatro Manoel Durães" na Rádio Record, com os artistas Manoel Durães, Nestório Lips, Ottilia Amorim e Edith Morais.
 
Na rádio Gazeta eram transmitidos os programas "Vozes do Danúbio", "Relíquias Portenhas", "Almoçando Com Música", "Música dos Mestres", "Música Para Milhões" e o noticiário "Gazeta Informa", transmitido às 12h, sob o patrocínio da Casa da Borracha S.A.
 
Já na Rádio Panamericana, era transmitido um programa esportivo denominado "Corinthians em Marcha” no horário das 18h45 às 19h, com o locutor Otávio Muniz. Às sete horas da noite todas as emissoras transmitiam a "Voz do Brasil".
 
As transmissões de futebol eram a coqueluche dos domingos à tarde, transmissões feitas pelos locutores Rebelo Junior, o homem do gol inconfundível, depois veio o Pedro Luiz.
 
Ainda me lembro de um programa na Record que apresentava a dupla Cascatinha e Inhana, gentileza do Emplastro Poroso Sabiá. Na Rádio América era transmitido o programa "Recordações do Oriente" as 12h30, sob o patrocínio da Loja Sedalberto.
 
Jamais vou me esquecer da alegria que todos nós sentimos quando o Benedito ligou o rádio. Bons tempos!
 
 
 
E-mail: lt.ltesser@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/08/2014

Belas lembranças, Nelinho. Para nós, veteranos, a Era do Rádio deixou fundas e agradáveis marcas. Minha fase foi talvez posterior à sua, com os programas da Radio Nacional, Balança mas não cai, Incrível, Fantástico, Extraordinário, a notável PRK-30, Chico Alves, que introduzia seu programa com "Boa noite, amor" e tantas outras coisas, capazes de deixar um gurí de queixo caido. Abração.

Enviado por Luiz Simões Saidenberg - lssaidenberg@gmail.com
Publicado em 07/08/2014

Ah, Nelinho! Ouvi também todos esses programas e mais alguns...

O rádio fez parte integrante da nossa educação.

Boas lembranças!

Enviado por Neide Gaudenci de Sá - neidegsa@gmail.com
Publicado em 04/08/2014

Nelinho, desculpe, eu quis dizer "alazão" e não "azalão".

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 04/08/2014

Nelinho, eu também fui e ainda sou um ferrenho admirador das rádios. me lembro da minha mãe ouvindo Cartas de Amor e o Ciglione empastando a voz para dizer...meu inesquecível amor....tinha na Rádio America o programa do Nho Totico a Escolinha Risonha e Franca. Valeu a lembrança meu amigo.

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 04/08/2014

Nelinho, que memória extraordinária, vc parece uma gravação de épocas distantes, fez-me lembrar com estes nomes, momentos de alegria pois, o rádio lá em casa tinha o mesmo efeito, de tanto que a gente ouvia. Com estas lembranças, Nelinho a gente tem quase a certeza de que vc era bem íntimo de D. Pedro l, aí no seu querido bairro do Ipiranga, que vc conheceu bem quando ele passou pela sua porta, no cartório que vc trabalhava, montado num belo azalão, dando um berro que se ouviu até em Lisboa.

Gostei muito da sua crônica, Nelinho, deixando de lado a brincadeira, vc citou nomes consagrados de nossa bela época. Parabéns, caríssimo fratelo.

Laruccia

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 04/08/2014

Grande Nelinho, a sua história é a minha; o rádio foi nosso companheiro de infância, os programas que você citou eu também os ouvi...

O programa Ecos da Broadway era apresentado pelo Fausto Macedo, irmão do Renato Macedo que apresentava um programa chamado Ritmos da Broadway na Difusora; o Renato Macedo foi nosso vizinho aqui no bairro da Previdência, o Fausto era responsável pela discoteca da TV e Radio Cultura... atualmente não tenho notícia de nenhum deles, devem ter partido já a algum tempo.

Abraço do Ignacio

Enviado por Joaquim Ignácio de Souza Netto - joaquim.ignacio@bol.com.br
Publicado em 02/08/2014

Nelinho quantas lembrancas voce nos de volta , a Radio Sao Paulo que a gente era obrigado a ouvir , pois todos que tinham radio na vizinhanca

ligava no volume maximo e aquelas musicas classicas como intruducao na hora das novelas, alias a Danca das Horas era a que mais me encantava , e eu acompanhava cantarolando. O Otavio Muniz fazendo o programa dedicado ao Corinthians .E a hora que todos desligavam o Radio dando um descanco ao mesmo por uma hora que comecava as sete horas da noite durante a voz do Brasil. E sem nunca deixar de citar a dupla que eu amava e que ate hoje tenho o long play deles e a minhas preferidas eram India , e Colcha de Retalhos .Otimo texto Nelinho . Parabens Abracos Felix

Enviado por João Felix - jfvilanova@gmail.com
Publicado em 01/08/2014

Puxa Nelinho. eu gostava muito de rádio. E agora me senti com mil anos.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 01/08/2014

eu lembro nos anos 50 todas as sextas feiras, as 8 horas da noite,

eu e o meu pai, ligava o radio para ouvir um programa policial,muito famoso na época, O CRIME NAO COMPENSA, COM JOSE RUBENS.

onde tinha um famoso bordão, SIM GASTAO,

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 01/08/2014

Que delícia, Nelinho! Todos juntos e, o melhor, a vitória do seu primo, pelo fato de ele mesmo ter montado o aparelho num curso por correspondência. Ótimo. Parabéns para todos vocês . Vou recomendar a leitura desse para os meus tios. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »