Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Avenida Paulista, nº 2073 Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 24/09/2014
Na minha infância até a mocidade, frequentei uma chácara mansão que ficava na Avenida Paulista esquina com as ruas Augusta e Padre João Manoel e a Alameda Santos.
 
Era um imenso quarteirão, mais de 60 mil metros quadrados. Pertencia à família Horacio Sabino. 
 
Uma verdadeira chácara em plena avenida. Tinha campo enorme onde todos os garotos do bairro jogavam futebol. Aos sábados e domingos era uma verdadeira várzea esportiva.
 
Em 1952, o nosso querido campo de futebol foi vendido para o Sr. José Tijurs. Foi construído ali o lindo conjunto nacional.
 
O conjunto ficou totalmente pronto em 1958. Foi inaugurado pelo então presidente, Juscelino Kubitschek.
 
Tinha o maravilhoso restaurante Fasano, com suas lindas mesas na calçada, e palco com vários artistas famosos, como Nat King Cole e Marlene Dietrich.
 
O conjunto nacional foi um lugar onde os namorados viviam passeando, vendo as vitrines das lojas, indo ao cinema, como o Cine Astor e o Cine Rio, frequentando os bares e restaurantes.
 
Quando a rua Augusta estava no auge, o conjunto nacional fez parte da linda história dos jovens da época...
 
O tempo passou. Hoje o conjunto nacional está mais calmo, tem muitos bancos, a linda livraria cultura...
 
Quem frequentou o conjunto na época de ouro, jamais esquecerá o maravilhoso tempo de glória que nos proporcionou.
 
Enfim mais um lugar maravilhoso da cidade de São Paulo, que vai ficar na história da nossa linda juventude!
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/09/2014

Curioso saber, agora que onde está o Conjunto Nacional era uma várzea, Capasso, conheço bem o edifício-conjunto, era e ainda é atração, um pouco menos, pois as gerações passam e a mocidade tem outras opções. Parabéns pelo texto, João.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 27/09/2014

Privilégo de poucos, a cidade foi crescendo e os prédios e condomínios tomando conta de tudo, o mais triste é o que relata a Wal, sobre a ocupação de praças e terrenos para implantação de favelas.

Belo texto.Parabéns.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 26/09/2014

Capasso, nas minhas andanças como "ofice boy" passei por esse local citado pelo amigo, acompanhei até a construção do conjunto nacional, bons tempos que já se foram, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 26/09/2014

Em cada canto da cidade coisas para recordar, com nostalgia. Imaginar uma chácara em plena Av. Paulista é, para os jovens da atualidade, quase bizarro, inimaginável.

Outro dia fui em um local que há 3 décadas não visitava, fiquei chocada. Gosto de ver fotos de SP ANTIGA, era tão linda, belos jardins.

Não tem jeito! A cidade se transforma junto com a sociedade, que a cada dia aumenta mais.

Enviado por Marina Moreno Leite Gentile - dagazema@gmail.com
Publicado em 25/09/2014

ALMIR,leia os meus textos. AS HISTORIAS DO PARQUE TRIANON, publicado no dia 20 02 2014,

ou o CRIME NAO COMPENSA, publicado no dia 13 02 2009.

você vai gostar.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 25/09/2014

Coisas da vida,eu mudei para o Sacomã em 1970 .Do meu apartamento a gente avistava um morro lindo e infinito com um verde de vários tons ao lado da Estrada das Lágrimas com sua frondosa Arvore e outras tantas no caminho...Havia vários campos de futebol onde os meninos jogavam suas peladas durante a semana e nos finais lotava de jovens com pipas no alto e com bolinhas de gude,as meninas também tinham seu espaço para pular corda e fazerem pic nic(muitas vezes passei as tardes lá com meus filhos)tinha uma grande bica de água limpinha e outras menores pois o local era gigantesco(tenho fotos de lá até hoje)Pois bem,já tem muitos anos que este local pertence a maior Favela da América Latina,a favela do Heliópolis e que agora o nome é COMUNIDADE

Esta comunidade cresceu tanto que chega até o início de São Bernardo descendo pela Vila Carioca, já atravessou a estrada das Lágrimas chegando no bairro vizinho,e esta Chegando no terminal do Fura Fila e aos poucos e se encostando no final da Rua Silva Bueno no Sacomã.O prédio em que eu morava foi desapropriado as casas de frente e implantada uma enorme praça na qual eles também se apropriaram.Eu também acho que todos teriam que ter moradia,mas não desta forma e de um crescimento estrondoso...Já são quatro bairros completamente tomados por barracos e toda as formas de precariedade e perigos...e os vizinhos que compraram seus imóveis e pagaram em 20 anos deixando até de comer para pagar suas prestações em dia,fazem o que???

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 25/09/2014

Nunca imaginei que alguém pudesse ter jogado bola naquele terreno um dia.

Sr. Capasso, se o sr. tiver alguma história sobre a bandidagem dos anos 60 eu gostaria muito que o sr publicasse.

Abs

Enviado por Almir . - almir1960@hotmail.com
Publicado em 24/09/2014

Pois é, fico imaginado quem viu e vê essas transformações em menos de meio seculo como deve se sentir, tiro como exemplo o que estou vendo na minha região da Ponte João Dias quantas diferenças de meio seculo atrás, é um novo centro da cidade, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 24/09/2014

Muito legal essas lembranças . Eu imagino como deve ter sido bons esses tempos

Abçs

Alexandre

Enviado por Alexandre Ronan da Silva - alexandreronan@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »