Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Mananciais da minha terra IV Autor(a): Benedita Alves dos Anjos - Conheça esse autor
História publicada em 06/04/2015

Que alegria, a chuva finalmente chegou

E trouxe de novo o canto,

Do sabiá, que pelo estio se calou.

 

Que alegria, ouvir de novo o barulho do rio,

Que corta a cidade, aos borbotões,

Vai enchendo as represas, vai voltando o verde,

Devolvendo a vida,

Para a cidade grande.

 

E o temor de um grande estio,

E o medo de uma carestia,

Vai ficando para trás.

 

Mas temos que ter consciência,

Em cuidar da natureza,

Cuidar das nascentes,

Das vegetações ribeirinhas.

 

Tendo um equilíbrio,

Para que não aconteça novamente,

De ter que beber água suja,

Àgua do fundo do rio,

Agua barrenta.

E-mail: dosanjos81@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/04/2015

Estan na minha infância bebia agua do ribeirão, tinha micróbios, hoje a agua tem gosto de cloro, não sei o que mata mais.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 07/04/2015

Sr Modesto, parece que não tem mais jeito. mas a esperança e a ultima que morre.

O que podemos fazer e a nossa parte.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 07/04/2015

Meus queridos amigos.meu velho cp onde tinha pontuações e eu estava acostumada pifou...

Agora

]minha filha me deu este,ainda não me acostumei.

Por isso não comento, nem estou escrevendo mais, preciso consertar o velho. kkk

Sinto de todos vcs.

Um grande abraco para cada um e que Deus os abençoe grandemente.

Me ajudaram muito,fico eternamente grata.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 07/04/2015

Poesia e lirismo, será o que servira de lenitivo, pelo menos, pra aliviar nossas angustias no meio de tento entraves. Chega de tanta roubalheira, chega de tanta senvergonhice.

Parabéns, dos Santos.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 07/04/2015

Bom seria se, aqueles que são realmente responsáveis pelos manancias, pensassem menos em votos e mais am água.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 07/04/2015

Dos Anjos, realmente as aguas voltaram e voltaram seus versos reais e esperemos que nunca mais falte a agua e seus versos, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 06/04/2015

Dos Anjos, poesia linda e necess´~aria çpara abrandar as agruras do dia a dia.

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »