Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias A espera por um telefonema Autor(a): Ana Regina Carnevalli Parra - Conheça esse autor
História publicada em 19/11/2014
Após décadas de intensa vida em comum e amor, uma decisão definitiva:
 
"Por conta do seu tratamento, você mora em São Paulo, no Brooklin, e eu fico na tranquilidade das Minas Gerais!".
 
Ele disse: “ligarei para você no sábado, pontualmente, às 10 horas, na data e hora do nosso casamento, há sessenta anos, o que me deixa muito feliz”.
 
Avisou a filha e não permitiu a presença de ninguém na sua casa, pois queria conversar a sós com a amada.
 
Naquela manhã de sábado ela ficou de prontidão, sentou na poltrona a espera do telefonema.
 
O horário marcado foi passando. Dez, vinte, trinta minutos, estranhou...
 
Às onze horas, não aguentou, ligou e perguntou: “Está tudo bem você? Disse que me ligaria hoje às dez da manhã, estou preocupada, o que aconteceu?”
 
A resposta foi: “É que aqui, nesta casa, tem tanto relógio que eu não sei qual está certo!”.
 
Em seguida, ele aproveitou reclamou do latido do cachorro, do barulho na rua, entre outras rabugices.
 
O motivo principal passou bem longe. Espanto, essas coisas do RG...
 
E-mail: arcparra@ig.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 26/11/2014

Ana Regina

RG seria: Registro Geral; Reclamação Geral; ou a iniciais de R...G...?

Sem querer ser advogado de defesa, o final do texto me fez lembrar uma música de Adoniran: "Num relógio. É quatro e vinte. No outro é quatro e meia. É que de um relógio pra outro. As horas vareia"

Enviado por Pedro Nastri - p.nastri@yahoo.com.br
Publicado em 24/11/2014

Falar o que de uma união de 60 anos...só não deu para entender o porque da separação na hora da doença...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 24/11/2014

Fiquei angustiada pela espera e pelo esquecimento, mas homens não lembram mesmo do aniversário de casamento. As agendas eletrônicas vieram para salvá-los, não é?

Enviado por Neide Gaudenci de Sá - neidegsa@gmail.com
Publicado em 24/11/2014

Eu diria que é de DNA ( Data de Nascimento Adiantada )

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 22/11/2014

É, acontece principalmente com quem passou 60 anos ao seu lado.

Coisas de DNA = Data de Nascimento Antiga. kkkkkkkkkk.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 21/11/2014

Não é fácil esperar por telefonemas, minha querida. Principalmente quando o mesmo acontece com ares de menos importância. Um beijo.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 21/11/2014

Gostei muito da história curiosa,de emoção e surpresas.

Enviado por Flor de lótus - anamarisfigueiredo@gmail.com
Publicado em 21/11/2014

Uma separação contada de maneira curta e nada dolorida... apenas com um final (RG) que eu, particularmente, não entendi. Parabéns, Parra.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 19/11/2014

Ana Regina, as vezes é

melhor desligar o telefonepara não ouvir tanta reclamação, e da data especial: nada! kkkkk. parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »