Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Um esporte sofisticado Autor(a): Modesto Laruccia - Conheça esse autor
História publicada em 10/12/2014
Nas imediações de minha casa, no Residencial Parque Continental, região bem arborizada na zona oeste de São Paulo, tem o nosso clube Continental, onde se praticam várias modalidades de esporte como basquete, vôlei, tênis, futebol society e de salão. Seus sócios contam, também, com uma bela piscina e um bom salão de sinuca, com duas mesas, onde passo boas horas praticando o “esporte dos malandros”, tentando ser um “Rui Chapeu” ou “Carne Frita”.
 
Entre o grupo de associados, estão os que praticam tênis, nas 4 quadras, veteranos, barrigudos que acreditam na postura incansável de suas “violentas” raquetadas.  Um excelente substituto pra um regime alimentar, visando perder peso, quando logo ao término das partidas matinais, nos fins de semana, reúnem-se em torno da mesa do bar do Giba, anexo as quadras e repõem, com “juros e correção”, todas as calorias perdidas nas partidas, com salgadinhos e cerveja - muita cerveja, aliás.
 
As quadras de tênis presentemente, estão sofrendo reformas, - duas das quatro. A troca de piso se faz em conformidade com os especialistas, restando outras duas quadras, prejudicando os aficionados nos tempos pra ocuparem as únicas duas quadras, havendo queixas e reclamações. No momento, as pistas se apresentam com uma cobertura, toda de pedregulhos e uma camada de betume, por cima. Fim de amenizar a impaciência dos esportistas ofereci uma pequena homenagem a eles todos. Segue:
 
“Pequena homenagem aos aficionados do esporte das elites”
 
AS QUADRAS DE TÊNIS
 
Pátio enorme, negritude excitante, razoável tamanho
suficiente pra duas quadras.
O piso não está liso,
ainda afloram partículas de pedras, impregnadas
da balsâmica solução de betume, aguardando o banho
da última camada do tapete que
dará o final do piso.
 
 
Aficionado aguarda, impaciência com ranço de lesado.
Fidelidade, indumentária usual na rotina diária, não dá.
Nem que seja pra mudar o roteiro, aguardar, impossível.
Precisa de parcimônia tolerância, pra não ser contrariado,
susto sem ressonância, pra assistir, só se for bem dotado.
 
 
Esporte de elite, congrega praticantes veteranos.
Deleite nostálgicos, físicos bem guarnecidos
de ventres avantajados, esforço compensado,
sempre alertas, saudáveis, com passar dos anos.
Gestos monocárpicos, segura intenção entre dentes.
A certeza de um dia, ser guia, latente e de repente.
 
 
No ventre das intenções, guardadas proporções,
sonhos, desventuras, esperanças, alimenta
jovens de espírito, idosos de físicos e ações.
Aconchega, carinhosamente, em suas placentas,
As sementes dos futuros e teimosos campeões.
E-mail: modesto.laruccia@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 22/12/2014

Modesto acabei de ler tua cronica em que provocas esses esportistas que chegam a ser polemicos. Nos anos 80 eu tive contato direto com os profissionais do tennis pois eu cheguei a ser um especialista nas quadras de Har Tru que e uma quadra lenta pois se compara com a de saibro (po de tijolo) e a har tru e tambem uma quadra lenta de cor esverdeada mais o menos da cor de cimento, feita de uma pedra moida que da uma vantagem enorme sobre as do saibro , porque quando chove ela , esta pronta para o jogo em depedendo do montante da chuva em pouco menos de uma hora . Quanto ao piso do saibro fica barrento e dificilmente pode ser usado no mesmo dia.Mesmo com muitas oportunidades nunca tive vontade nem prazer de aprender esse esporte ,que por ter tido tanto contato com os atletas , apezar de ter tido muitos amigos enquanto estive no meio deles .Eles sao muito estranhos e cheio de milongas . Quanto as quadras do clube do parque Continental essas quadras a que voce se refere sao quadras relativamente rapidas donde depois do asfalto se aplica um piso de plexipave, camada que a deixa menos rapidas propias para jogadores com mais idade ( e os barrigudos que voce se refere). Nos anos 80 eu trabalhei para o Rod Laver que tinha um clube de socio com seu primo Ian Laver com 44 quadras (24 lentas de Har Tru e 20 de Plexipave quadras semi rapidas ) fui superintedente desse clube por 6 anos . Depois me cansei de brigar com os polemicos tenistas e troquei de profissao , porque nao e facil trabalhar com esses esportistas que so sabem reclamar por qualquer motivo . Parabens pelo texto , e espero que nao tentes aprender esse esporte ,pois como diz o Marcos Aurelio e sofisticado demais.Abracos Felix

Enviado por João Felix - jfvilanova@gmail.com
Publicado em 19/12/2014

Esse é o Modesto que eu admiro, sempre alegre e crítico. Fazendo crítica na medida exata da qualidade de sua escrita.

Mo, vou continuar te lendo, quem sabe um dia, lá na frente, eu consiga em´parelhar contigo.

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 15/12/2014

Nunca me interessei por este esporte, mas respeito imensamente o nosso campeão GUGA que tantas glórias deu ao nosso País e a sua simplicidade incrível faz deste campeão um grande exemplo.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 13/12/2014

Modesto, tenis é um esporte que aprecio, mas nunca pensei em aprender, é sofisticado demais.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 13/12/2014

caro, modesto, esporte e como a vida.

quando e jovem, e futebol,depois namorar, etc..

quando e mais velho, e box depois namorar, etc.

aos 50 anos, natação, ainda namorar etc..

aos 60, jogar bocha, almoçar. e depois dormir.

feliz natal. e um lindo ano novo.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 12/12/2014

Modesto, como sempre, com suavidade, emoções e boas memórias, valorizando cada detalhe daquilo que passaria com pouca sensibilidade para muitos dos frequentadores do clube Continental. Ótimo. Parabéns, meu querido colega. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 11/12/2014

Modesto, tenis para mim só o calçado, mas, gosto é gosto e temos que respeitar, tentei uma vez assitir a uma partida de tenis, mas não via a bolinha, só o gemido do tenista e o barulho da tacada, enfim mudei de canal, mas na sua cronica bem escrita gostei da partida, em frente e vamos torcer para que as quadras fiquem prontas e depois a melhor parte é tomas "umas" no boteco, Feliz Natal e Ano Novo a voce e família e a todos do SPMC, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 10/12/2014

Modesto, mais uma vez você faz aflorar a sua verve poética para descrever uma reforma de quadra esportiva aliada à postura dos praticantes do nobre esporte, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »